O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Para Empreender » Descubra como negociar uma franquia para abrir com as melhores condições

Descubra como negociar uma franquia para abrir com as melhores condições

Sumário

Saber como negociar uma franquia é uma questão que está quase sempre presente na cabeça de vários empresários. Dessa forma, preparamos esse texto para que você saiba o que pode e não pode fazer durante essa etapa. Confira!

Em primeiro lugar, saiba que se você quer muito empreender, não está sozinho. De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em 2022, 60% dos brasileiros buscaram por um negócio para investir.

As franquias pode ser uma boa opção para quem quer empreender. Isso porque, são modelos de negócios que criam uma relação entre marca e investidor, sempre se baseando em uma semi-independência.

Ou seja, o empreendedor tem a autonomia para administrar sua unidade, desde que respeite as diretrizes e orientações da empresa. Por isso, na hora de negociar com a franqueadora, é preciso estar atento a algumas questões importantes.

7 dicas de como negociar uma franquia

A seguir, vamos apresentar algumas boas práticas para que você consiga negociar bem uma franquia, seja presencialmente ou por telefone.

Desse modo, as dicas que preparamos irão lhe auxiliar a chegar no melhor acordo para o seu perfil empreendedor. Acompanhe e anote!

1. Estude a Circular de Oferta de Franquia (COF)

A COF é um documento entregue pela rede de franquias aos seus futuros franqueados, com a intenção de demonstrar todas as condições e obrigações de ambas as partes após o fechamento do contrato. 

No documento, estão presentes informações importantes, que ajudam o empresário a entender melhor o tipo de negócio no qual está se envolvendo.

Se surgirem dúvidas, você pode consultar um advogado sobre os termos apresentados. Isso lhe dará mais segurança no acordo. Além disso, os próprios consultores da marca podem ajudá-lo a responder essas questões. Na COF vão estar listados:

  • Dados sobre a franqueadora, como CNPJ e endereço da sede;
  • Histórico da marca;
  • Balanço e demonstrações financeiras;
  • Pendências judiciais;
  • Relação de franqueados;
  • Franqueados ativos e que se desligaram nos últimos 24 meses;
  • Equipe da franqueadora;
  • Informações sobre o mercado;
  • Descrição do negócio;
  • Características dos modelos de negócio da marca de franquia;
  • Perfil desejado do franqueado;
  • Estimativa de investimento pelo franqueado, com descrição das taxas cobradas;
  • Estimativa de ganhos financeiros;
  • Regras sobre território (se haverá exclusividade ou não de atuação por um franqueado em determinada área);
  • Lista de fornecedores para atuação na franquia;
  • Lista de apoios prestados pela franqueadora;
  • Situação do franqueado após o término ou rescisão do contrato de franquia.

2. Faça perguntas e esclareça suas dúvidas

Após estudar a COF, o próximo passo para entender como negociar uma franquia é compreender bem o que a franqueadora pensa. Também como trabalha, suas vantagens diante dos concorrentes etc. 

Por isso, é aconselhável que você faça todas as perguntas possíveis para que possa sentir confiança no projeto. Principalmente se estiver em uma reunião presencial, como nas feiras de franquias. 

Mas é importante não ter medo de fazer perguntas ou ache que sua dúvida é boba. Quando se trata do seu dinheiro e de um empreendimento como esse, não é hora para ter vergonha. Lembre-se: esse será o melhor momento para você recuar ou avançar na negociação. 

Dentre as variadas questões que podem ser feitas, separamos alguns exemplos para lhe auxiliar durante o processo. 

  • Como é a remuneração para os franqueados?
  • Existe a possibilidade de abrir mais unidades no futuro?
  • Quando o contrato pode ser rompido por alguma das partes?
  • Há uma central de compras ou eu preciso negociar com o fornecedor?
  • Quais os desafios que a sua marca enfrenta?

3. Tenha uma conversa tranquila e respeitosa

Para que seja possível obter essas respostas esclarecedoras, uma dica importante é facilitar a conversa. Ou seja, ouvir com atenção, conhecer o representante da marca, demonstrar interesse na fala dele e jamais se deixar levar pelas emoções.

Um dos maiores erros em como negociar uma franquia está na empolgação ou falta dela. Isso acontece, porque muitos empresários entram nessa etapa com um pensamento idealizado sobre aquele empreendimento. 

Porém, nem tudo é como pensamos e alguns pontos apresentados podem cair como uma decepção. Ou como uma grande oportunidade, que lhe fará olhar de outra forma para o empreendimento. 

Se você estiver muito empolgado, pode deixar passar informações importantes, que vão se apresentar como um incômodo no futuro.

Por isso, mantenha o seu foco e tenha muita calma. Ouça bem o que o representante da marca tem para falar, resolva todas as suas dúvidas e seja objetivo sempre que possível. Dessa forma, as chances de prejudicar o seu julgamento diante da realidade diminuem. 

Também lembre-se que a pessoa que está negociando com você é apenas o representante da marca. Ou seja, não adianta ficar bravo por causa de pontos que você não concorda. Transmita suas reclamações de uma forma respeitosa. 

4. Pense no seu objetivo como empreendedor

Para que você tenha chegado até aqui com a finalidade de saber como negociar uma franquia, é sinal que já tem algo em mente. Mesmo que seja abstrato e sem um objetivo específico, a curiosidade para entrar nesse modelo de negócio está presente, e isso é bom. 

Sendo assim, é comum encontrar empresários que começam a pesquisar redes de franquias sem saber ao certo o que desejam, tendo apenas o objetivo de mudar de vida.

Porém, para que tenha uma negociação realmente efetiva e de acordo com o seu perfil, é necessário que o empreendedor saiba, pelo menos, o que espera atingir em um determinado período. 

Ou seja, essa empresa será um complemento da sua renda? Será a principal fonte de dinheiro? Em quanto tempo você espera receber o investimento de volta? O que espera adquirir como profissional ao longo do contrato? 

Ao descobrir esses pontos, será possível desenvolver a melhor conversa, precisa e detalhada com a franqueadora. Mas cuidado: não fique preso às suas ideias e nem muito aberto a mudanças. Encontre o ponto ideal. Sempre haverá uma marca que se encaixe com o seu perfil.  

5. Compreenda os limites da franqueadora

Agora é a hora de mostrar as limitações que o empresário irá encontrar durante a etapa de fechamento do acordo. Até aqui, você podê conferir como negociar uma franquia em uma visão mais voltada para o futuro franqueado. 

Mas é preciso saber que alguns pontos não são passíveis de mudanças, como no caso do contrato de adesão. Você sabe, as franquias são modelos de negócios que se baseiam em experiências adquiridas ao longo do tempo. 

Então, para chegar a esse ponto de expansão, a marca precisou criar, testar, formatar e modificar diversas vezes o seu plano de negócio. O que acabou gerando expertise — ponto que é transferido para os franqueados. 

Ou seja, não faria sentido modificar a forma de conduzir o empreendimento de acordo com a característica de cada empresário. Por isso, não é possível negociar os termos do contrato. 

Assim, para ficar mais claro, imagine você administrando uma rede de franquias onde cada unidade tem uma forma de agir diferente ou cada empresário a gere da maneira que quiser. Todo o trabalho para tornar a marca padronizada e reconhecida pelo público seria colocado em xeque. 

Logo, as franqueadoras são rígidas sobre o modo de atuação dos seus franqueados. Portanto, para ter sucesso, você terá que se adaptar às regras.

6. Negocie a forma de pagamento

Se não é possível mudar partes do contrato, também é difícil mudar os valores necessários para abrir a franquia. Afinal, se todos os franqueados têm os mesmos direitos acordados no contrato citado acima, por que deveriam pagar valores diferentes?

Porém, ainda existe uma possibilidade mais atrativa de como negociar uma franquia. Embora os valores dificilmente sejam modificados, as condições de pagamento podem ser acordadas, se assim for necessário. Ou seja, busque uma maneira de parcelar as primeiras taxas.

Para se tornar um franqueado, o primeiro valor que deve ser pago é a taxa de franquia. Isso porque, é que dá ao empresário o direito de explorar comercialmente a marca. Mas caso você não tenha a quantia integral, nada impede de negociar um determinado período para pagá-la.

Vale lembrar que as demais despesas podem não ser passíveis de negociação. Esses valores, referente aos royalties e marketing, são mensais. Desse modo, podem ser fixos ou percentuais sobre compras ou faturamento. 

7. Plano de Negócios

O desenvolvimento de um plano de negócio sólido é essencial ao considerar uma franquia. Isso porque, atua como um guia estratégico que apresenta metas, estratégias e projeções financeiras.

Assim, deve conter detalhes sobre a localização, público-alvo, estratégias de marketing, análise de concorrência e projeções financeiras realistas etc.

Um plano bem elaborado não apenas ajuda a garantir a adequação entre o franqueado e a franquia, mas também aumenta a confiança da marca na capacidade do investidor de obter sucesso no negócio.

Como é possível negociar uma franquia?

Existem situações em que o empresário pode, sim, encontrar melhores condições e negociar a franquia. Principalmente se o modelo de negócio escolhido for referente a uma unidade física, onde será necessário fazer um investimento maior.

Lembrando que algumas marcas também oferecem a possibilidade do empresário trabalhar em home office, o que elimina essas despesas extras. 

De qualquer forma, além de negociar a unidade com a franqueadora, você pode tentar negociar outros aspectos dela. Como seu aluguel e custo de manutenção. Veja a seguir.

Aluguel do espaço físico

Antes de definir o lugar para instalar a sua loja, é importante que você encontre um local que seja bem movimentado.

Mas cabe a você, com auxílio da rede de franquias, escolher o melhor. Para isso, fique atento às condições do local, observe a sua estrutura e negocie o valor do aluguel. 

Esse é, inclusive, um dos pontos abordados no curso Guia Para Iniciantes. São aulas que você pode acessar clicando aqui, assistir online e entender em detalhes como investir em uma franquia. Sem prejuízo e sem o risco de escolher uma marca ruim.

A principal recomendação é que esse valor não seja superior a 11% do seu faturamento bruto. Assim, você terá mais condições de fazer o seu negócio decolar, sem que tenha despesas muito altas. Até porque, prejudicariam o desenvolvimento da sua unidade. 

Reforma e manutenção da loja

Após escolher o espaço em que será instalada a sua loja, será necessário modificá-la internamente, para que o ambiente siga os padrões arquitetônicos da marca. Para isso, obviamente, é preciso contratar uma equipe especializada para fazer o trabalho. 

Portanto, uma dica para reduzir os seus gastos é encontrar um espaço que já tenha uma estrutura boa, com fiação adequada, encanamento em bom estado etc. Aí sim você poderá começar a pesquisar os profissionais que atuem com as soluções que você precisa, com um preço justo.

Quais as vantagens de se tornar um franqueado?

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado de franquias tem estado em constante crescimento nos últimos cinco anos. 

O levantamento feito sobre o mercado em 2022 identificou um crescimento de 14,3% no faturamento do setor em compactação com 2021. Além disso, indicaram um faturamento de R$ 211,4 bilhões.

Uma das principais vantagens de se tornar um franqueado é exatamente esse potencial de crescimento do setor. Afinal, se reflete em cada unidade de franquia.

Portanto, investir no segmento de franchising pode ser vantajoso para quem quer empreender e lucrar. Agora que está por dentro do assunto, abra o seu negócio e lucre.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje