O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Franchising » Segmento: Serviços automotivos » Empreendedorismo feminino: entenda se está na hora de você abrir um negócio!

Empreendedorismo feminino: entenda se está na hora de você abrir um negócio!

Sumário

As mulheres estão cada vez mais presentes no mundo dos negócios e o empreendedorismo feminino já é uma realidade no mercado. Aqui, falaremos mais um pouco sobre isso.

Para se ter uma ideia, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), houve aumento no contingente de mulheres empreendedoras no Brasil, alcançando a marca de 10,3 milhões.

Essa é uma parcela significativa de mercado, realidade que tende a aumentar, como mostraremos a você nos tópicos a seguir. Continue a leitura!

Números do empreendedorismo feminino no Brasil

Apesar dos desafios de ocupar espaços muitas vezes “masculinos”, as empreendedoras estão alcançando os homens e derrubando barreiras ano após ano, em busca de reconhecimento e igualdade de oportunidades.

Somado aos homens, as mulheres empreendedoras já somam mais de 30 milhões no Brasil, de acordo com dados, o que representa cerca de 34,4% do mercado.

Do mesmo modo, o empreendedorismo feminino segue crescendo. Segundo dados da Rede de Mulheres Empreendedoras, houve um aumento de 40% no número de mulheres atuantes nestes espaços em 2020.

Em maior número na faixa etária de 22 a 35 anos, 54% das mulheres decidiram abrir uma nova empresa ou investir em negócios voltados para serviços, principalmente no setor de Alimentação, Beleza, Estética e Moda. 

São números que consolidam o papel das mulheres à frente do próprio negócio, como um retrato do empreendedorismo no Brasil. Além disso, este crescimento se deve a alguns fatores, sobre os quais falaremos agora.

Qual a importância do empreendedorismo feminino?

O empreendedorismo feminino tem várias vertentes para explicar sua evolução nos últimos anos. Por exemplo, mulheres ganham menos dos que os homens.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), com dados de 2012 a 2018, as mulheres recebem 22% menos do que os homens com o mesmo nível de escolaridade.

Outro fator que tem feito as mulheres optarem pelo empreendedorismo feminino são os “perigos” da licença maternidade. Isso porque, o fato de terem direito a se licenciar faz com que empresas optem por não contratar mulheres casadas ou com filhos. Ou então, que sejam mandadas embora após a licença.

Por estes e outros fatores, o empreendedorismo feminino é importante para possibilitar um ganho mais igualitário entre gêneros.

Ademais, muitas mulheres precisam de certa flexibilidade de horário de trabalho para cuidarem dos filhos ou da casa. E ter um negócio próprio pode facilitar. Além disso, é um movimento global o empoderamento feminino e chegou de vez ao mercado de trabalho e do empreendedorismo.

Por fim, as mulheres, assim como qualquer empreendedor, deve analisar bem o momento de iniciar um novo negócio. E como fazer isso é assunto do nosso próximo tópico.

Como saber se está na hora de abrir um negócio?

O empreendedorismo feminino faz parte cada vez mais do universo das mulheres. Porém, alguns fatores devem ser analisados na hora de escolher por começar um novo negócio. Seja o perfil da empreendedora ou o mercado, são detalhes que devem orientar a escolha.

Sendo assim, um primeiro passo é avaliar as características caras ao universo do empreendimento. Seja a proatividade exigida ou a organização necessária para iniciar o negócio.

Da mesma forma, a empreendedora deve avaliar se o mercado no qual deseja investir está em alta, ou se tem um viés de melhora. A situação do segmento deve orientar a escolha do negócio, a fim de evitar investir em um negócio que vá enfrentar muitas dificuldades no início.

Esse é, inclusive, um dos pontos abordados no curso Guia Para Iniciantes. São aulas que você pode acessar clicando aqui, assistir online e entender em detalhes como investir em uma franquia. Sem prejuízo e sem o risco de escolher uma marca ruim.

Do mesmo modo, é preciso entender o seu momento de vida, levando em consideração disponibilidade de tempo e foco para o negócio.

Por exemplo, se acabou de ter um bebê, pode não ser o melhor momento para empreender. Ou outros fatores da vida que podem exigir uma atenção maior. Enfim, são muitos fatores a serem levados em consideração.

Franquia pode ajudar a abrir um negócio

O empreendedorismo feminino pode ser facilitado ao investir em um modelo de negócio no franchising. As franquias são empreendimentos que já são estruturados e organizados, de forma a simplificar sua implementação.

Neste modelo de negócio, cada unidade é igual a outra, e o empreendedor licencia junto a franqueadora uma empresa pronta. As franquias são negócios atrativos por serem mais seguros, pois contam com suportes da franqueadora.

São treinamentos e auxílio na gestão que orientam o empreendedor de maneira eficiente. Da mesma forma, o empreendedor recebe uma marca consolidada no mercado, com serviços e produtos testados e aprovados pelos consumidores.

Então, para as mulheres, é uma boa opção por conta do suporte e também por facilitar para aquelas que têm uma jornada dupla. Assim, para quem é empreendedora e mãe, este modelo é vantajoso.

Segundo dados da Rede Mulher Empreendedora, 75% das empreendedoras brasileiras decidiram abrir um negócio após a maternidade. Isso porque, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), 50% das mulheres são demitidas até dois anos após a licença-maternidade.

Existem modelos de franquias em home office que são mais simples, e permitem uma certa flexibilidade de horário. Dessa forma, a mulher teria mais tempo para se dedicar à maternidade sem deixar de lado o sonho ou a necessidade do próprio negócio.

Opções de franquias interessantes para abrir

O mercado de franchising tem 11 segmentos, entre Alimentação, Serviços Educacionais, Moda, Turismo e Hotelaria etc.

É um mercado amplo, pois cada setor ainda conta com nichos e sub nichos mais específicos, com modelos de franquias dos mais variados. Porém, principalmente por conta da variedade de negócios, a empreendedora deve avaliar o mercado que mais lhe atrai.

Nessa hora, é preciso ultrapassar as nomenclaturas e as questões de gênero, caso seu interesse seja investir em um empreendimento considerado “masculino”.

O empreendedorismo busca soltar justamente as amarras da sociedade, mostrando que as mulheres devem estar onde elas quiserem, investindo no mercado que as atrai. Dessa forma, separamos algumas marcas que são boas opções para investir e em mercados atrativos do franchising. Acompanhe!

[raio_x_esf]

Como escolher a franquia certa para investir?

Comece analisando seu perfil e interesses, alinhando-os às oportunidades de mercado. Setores em ascensão e histórico de desempenho das franquias são pontos-chave a serem considerados.

Avalie o suporte oferecido pelos franqueadores, desde treinamento até estratégias de marketing. Além disso, examine a saúde financeira da franquia e as taxas envolvidas. Conversas com franqueados atuais fornecem percepções valiosas sobre a experiência prática.

Por fim, ao tomar uma decisão informada, minimizam-se os riscos e maximizam-se as chances de sucesso no emocionante mundo do franchising.

Quais os desafios do empreendedorismo feminino?

O empreendedorismo feminino encontra muitos desafios, assim como as mulheres em seu dia a dia, resultado de posicionamentos machistas, principalmente em alguns segmentos.

Da mesma forma, na maioria das vezes, é um desafio de jornada dupla ou tripla. Seja por conta da família, filhos, ou demais questões.

Além disso, o empreendedorismo feminino encontra desafios comuns a todos os empreendedores. Por exemplo, burocracias, economia com altos e baixos e insegurança. Dessa maneira, contar com um negócio mais simples, como as franquias, pode ser muito vantajoso.

Passo a passo para começar a sua franquia

Para dar os primeiros passos rumo à sua franquia, o ponto de partida é estabelecer contato direto com a marca desejada. Em seguida, aprofundar-se na análise do negócio é crucial, avaliando sua viabilidade no mercado local.

A Circular de Oferta de Franquia (COF) entra em cena, exigindo uma avaliação minuciosa das cláusulas para embasar suas decisões. Paralelamente, o planejamento financeiro torna-se imperativo, alinhando recursos disponíveis às demandas do investimento.

Em seguida, a habilidade de negociar com a franqueadora é um passo estratégico, visando acordos mutuamente vantajosos. Por fim, o ato de investir na franquia concretiza a parceria, marcando o início de sua jornada empreendedora.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje