O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Para Empreender » 5 erros ao franquear seu negócio que você jamais pode cometer

5 erros ao franquear seu negócio que você jamais pode cometer

Sumário

Ao transformar sua empresa em uma franquia, você deve evitar alguns erros ao franquear seu negócio. Aqui, falaremos dos equívocos mais comuns que podem ser evitados.

O mercado de franchising é atrativo e apresentou um faturamento de mais de R$ 185 bilhões, em 2021, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Por isso, é cada vez mais comum empresas se interessarem em atuar neste setor.

Porém, o processo de transformar sua empresa em uma franquia não pode ser feito da noite para o dia, como mostraremos a seguir. Continue a leitura!

Erros para não cometer ao franquear seu negócio

Alguns cuidados precisam ser levados em conta pelo empreendedor para que não cometa erros ao franquear seu negócio. Nessa hora, não basta que uma pessoa tenha interesse em abrir uma unidade da sua marca e você já vai logo se animando.

Iniciar uma empresa do zero já é algo difícil e arriscado, tendo em vista todas as incertezas que o empreendedorismo traz. Então, quando o assunto é formatar uma franquia também não é muito diferente.

O momento desta mudança exige calma, sem pressa para que a marca possa entrar para o mercado de franquias.

Sendo assim, os erros vão desde a falta de planejamento, descuido com questões burocráticas, bem como, a escolha dos novos franqueados. Sendo assim, confira a seguir cinco desses erros.

Erro 1: Não planejar bem a franquia

O planejamento da franquia deve ser o primeiro passo para iniciar o processo de formatação. Este cuidado leva em consideração uma série de fatores.

Nesse sentido, o empresário deve analisar os custos que vai precisar investir para adequar sua empresa ao franchising. Entender que devem haver mudanças estruturais profundas, dependendo do tipo de negócio com o qual se vai trabalhar.

Da mesma forma, é preciso fazer uma análise de franqueabilidade, para avaliar a sua empresa. Assim, identificar se os seus produtos ou serviços têm características para concorrer no mercado de franquias.

Este estudo busca entender onde sua marca se insere no setor, se é capaz de concorrer com as demais marcas. Além de verificar se consegue oferecer um modelo de negócio atrativo para os empreendedores.

Além disso, deve planejar o processo interno. Avaliar o que precisa mudar, para que as etapas possam ficar mais simples para se replicar em uma unidade franqueada.

Faz parte do início deste processo definir como será o trabalho do dia a dia do franqueado. Saber quais as etapas serão por conta do empresário e o que será feito pela franqueadora.

Tudo isso deve ser levado em consideração, além dos custos e vantagens para que o negócio seja atrativo e simples para os empreendedores. Com isso, facilitando as vendas das novas unidades da franquia.

Erro 2: Definir uma COF pouco detalhada

A Circular de Oferta de Franquia (COF) é um documento muito importante para as tratativas entre os empreendedores e a franqueadora.

A Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19) traz uma série de informações que devem constar neste documento. Por exemplo, balanço financeiro e histórico da franqueadora, direitos e deveres das partes e detalhes do negócio em si.

Nesse sentido, a COF é um informativo para os empreendedores conhecerem o modelo de negócio da sua franquia.

Este documento deve ser detalhado para que o candidato a franqueado não fique com dúvidas sobre o que consiste a sua franquia. A COF é também uma forma de segurança jurídica entre as partes que começam a parceria sabendo de seus direitos e deveres na relação.

Logo, o documento precisa informar os custos da forma mais precisa possível, a lucratividade do negócio, taxas a serem pagas ao longo do contrato, entre outros detalhes.

O interessado deve se sentir informado e seguro a respeito da sua franquia. Dessa forma, pode ser convencido de que é uma boa opção investir na sua marca.

Enfim, a produção desta COF deve ser bem feita, explicando o seu modelo de negócio de forma clara para atrair os empreendedores.

Erro 3: Não oferecer os suportes adequados

O modelo de franquia tem como uma das bases o apoio da franqueadora aos franqueados. Por isso, este formato atrai tantos empreendedores, principalmente os menos experientes.

Um dos erros ao franquear seu negócio é não viabilizar um suporte eficiente para os novos franqueados. A franqueadora deve ter colaboradores capacitados para orientar os empreendedores.

Nesse sentido, é importante ter um setor de suporte que possa sanar dúvidas no dia a dia do franqueado. Um bom suporte viabiliza o crescimento de cada uma das unidades, e isso é positivo para a franquia como um todo.

Por exemplo, um suporte adequado passa pela produção de manuais eficientes para que os franqueados possam estudar a operação da franquia.

Da mesma forma, os treinamentos devem ser simples e didáticos para os novos franqueados. Assim, facilitando o repasse do know-how da franqueadora.

Por fim, cabe também à franqueadora treinar seus funcionários para que possam orientar os franqueados da melhor forma possível.

Erro 4: Deixar que qualquer pessoa seja franqueada

É comum a franqueadora definir, ao formatar sua franquia, um perfil ideal de franqueado. Assim, abrirá suas portas para empreendedores que tenham determinadas características.

Isso é importante para valorizar a marca, buscando pessoas interessadas, que possam desenvolver bem a unidade franqueada.

Então, um dos erros ao franquear seu negócio, é aceitar qualquer tipo de empreendedor, pois o fracasso dele será o seu fracasso.

Dessa forma, é preciso que a franqueadora defina que tipo de parceiros quer em sua rede, e deve buscar pessoas que agreguem valor à marca.

Erro 5: Não contar com consultoria especializada

Conforme dito, o processo de formatação de franquia é complexo e exige muito cuidado para que resulte em um modelo de negócio atrativo.

Sendo assim, mesmo que aqui você tenha visto alguns dos erros ao franquear seu negócio que podem lhe atrapalhar, nem sempre é fácil fazer este processo na prática.

Uma consultoria especializada pode direcionar melhor todo este processo de mudança e planejamento. Com ela, o empresário pode formatar a franquia de maneira mais eficiente e muitas vezes, até gastando menos, pois diminui os erros.

Além disso, uma consultoria pode apresentar um plano mais detalhado de investimento, para que ao longo do tempo você se atente para reinvestir na rede. A franqueadora precisa sempre se atualizar e fortalecer para receber bem os novos franqueados.

Isso pode vir por meio da contratação de profissionais capacitados para que possam oferecer os suportes aos franqueados. Ou então, pessoas que possam ser importantes na expansão da marca.

Outro ponto no qual a consultoria especializada pode ajudar é em relação se é uma boa hora para a empresa mudar para o franchising. Pode ser que indique melhorias que precisam ser feitas para que mais para a frente a marca possa se tornar uma franquia.

Enfim, conforme falado, é um processo que exige cuidado e paciência, contando ou não com uma consultoria. Assim, evite estes erros comuns e poderá aumentar as suas chances de sucesso ao formatar a sua franquia.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje