O que considerar na hora de escolher uma franquia para investir?

Por
em

Nem sempre escolher uma franquia para investir é uma tarefa rápida, tão pouco fácil de se fazer, diante da quantidade de opções no mercado.

São muitos fatores a serem levados em conta para que o empreendedor faça uma escolha consciente e evite arrependimentos. Por causa disso, fazer uma boa análise das marcas é essencial neste momento.

No entanto, esta análise do mercado passa por várias etapas, desde um autoconhecimento até um estudo macroeconômico. Só assim o empreendedor pode escolher o modelo de negócio que melhor lhe atende.

7 dicas para escolher a melhor franquia

O mercado de franquias é amplo, com diversas marcas disponíveis para investir nos mais variados segmentos. São diversos tipos de negócios, com produtos e serviços para todos os gostos.

Para escolher uma franquia, o empreendedor deve se informar sobre tudo da marca. Por isso, antes de ter o próprio negócio, separamos alguns cuidados para lhe ajudar nesta decisão.

1. Seu perfil de empreendedor

Antes de escolher abrir uma franquia, o empreendedor deve conhecer a si mesmo. Seus gostos, qualidades e pontos fracos.

Advertisement

Este momento de autoconhecimento é importante para orientar a escolha por uma determinada marca ou tipo de negócio. Cada perfil de empresário combina melhor com um segmento ou nicho de mercado.

O empreendedor deve reconhecer suas qualidades como empresário, já que isso pode impactar no desenvolvimento do trabalho.

Por exemplo, uma pessoa mais comunicativa tem maiores chances de ter sucesso com uma franquia de vendas do que uma pessoa tímida.

Por outro lado, se ela se interessa mais por novidades tecnológicas, o mais indicado pode ser mais uma franquia de serviços de informática ou marketing digital.

Até as experiências prévias podem ajudar na escolha de uma franquia!

Vemos um homem de terno e gravada acenando positivamente com o seu polegar (imagem ilustrativa). Texto: escolher franquia.
O sucesso do empreendimento varia conforme a identificação do empreendedor com ele.

O empreendedor deve analisar o momento de vida pelo qual está passando para escolher uma franquia. Ele também deve buscar um modelo de franquia que converse com suas capacidades financeiras.

2. Reputação da marca

Advertisement

O empreendedor deve buscar investir em marcas consolidadas, aumentando as possibilidades de sucesso para sua unidade.

Por conta disso, é necessário pesquisar a reputação da empresa no mercado junto a franqueados e clientes.

Uma boa análise das reclamações dos clientes na internet pode orientar o empreendedor na compreensão de como está o relacionamento da empresa com seus clientes.

O Reclame Aqui conta com um bom apanhado de reclamações sobre as empresas. Alguns problemas são rotineiros, mas outros podem indicar queda de qualidade no atendimento.

Nesse sentido, o empreendedor deve estar atento a estas informações para não adquirir uma franquia mal vista no mercado.

Outros locais para vislumbrar essa movimentação são as redes sociais da marca. Seja no Facebook ou Instagram da franquia, os usuários costumam relatar problemas nestes canais.

Da mesma forma, observe se a rede de franquias está em processo de expansão de unidades ou não. Isso pode ser um indicador do momento da marca no mercado.

Em outras palavras, uma queda crescente no número de unidades pode ser um mau sinal de como está o negócio.

Nesse sentido, separamos um ebook com algumas dicas para lhe orientar em qual franquia investir. Baixe agora!

ebook em qual franquia investir

3. Experiência anterior dos franqueados

Além de observar a reputação da marca no mercado, o empreendedor também deve procurar saber como está o relacionamento da empresa com seus franqueados e ex-franqueados.

Logo, o empreendedor deve se informar junto aos parceiros da marca. Além disso, é necessário saber os motivos que levaram outros empreendedores a desistir da franquia.

Analise ainda como é o suporte dado pela empresa, se ele é satisfatório ou se deixa a desejar. Verifique também se as facilidades do modelo de negócio são reais ou mera propaganda enganosa.

Os contatos dos franqueados e ex-franqueados devem estar na Circular de Oferta de Franquia (COF), documento fundamental para o processo de franqueamento.

Por fim, busque saber como está o retorno da franqueadora junto aos franqueados e aos clientes da marca. Se este relacionamento é saudável ou se há problemas internos de qualquer natureza.

4. Lucratividade da franquia

No momento de escolher uma franquia ideal, o empreendedor deve conhecer como funciona o modelo de negócio da marca. Um dos pontos importantes, nesse caso, é a lucratividade da franquia.

Alguns modelos de franquias oferecem grande rentabilidade, mas o empreendedor deve estar atento. A rede deve ter um negócio sólido, com um bom mercado consumidor para se sustentar.

Na COF, o empreendedor já fica sabendo qual é a rentabilidade do negócio de acordo com projeções feitas pela marca.

No entanto, ele deve se informar junto aos franqueados e ex-franqueados se esta informação se sustenta. É fundamental saber se no dia a dia a marca é lucrativa ou se são apenas casos esporádicos.

Para esta análise, o interessado em se tornar franqueado deve levar em conta os custos da unidade em conjunto do modelo de negócio.

Além disso, franquias “milagrosas”, com rentabilidade muito alta, devem ser cuidadosamente observadas. Pois elas podem não se sustentar ao longo do tempo.

O vídeo abaixo contém algumas dicas para você não cair em golpes de franquias que podem ser uma “furada”. Confira já!

5. Saúde financeira da rede

Como vimos, são muitos aspectos que devem ser levados em conta para escolher uma franquia. Um dos mais importantes é conhecer a saúde financeira da marca.

Uma empresa que está com dificuldades não conseguirá honrar com seus compromissos, dando o suporte necessário para seus franqueados.

Portanto, já no processo de seleção, é hora de analisar se a rede pode arcar com seus compromissos como franqueadora.

Por isso, é fundamental estudar o balanço financeiro da empresa. Estas informações devem constar na COF, de acordo com a Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19).

O empreendedor deve ficar atento a franquias baratas, mas que ao longo do tempo, se mostram sem capacidade de dar suporte para as unidades.

Além disso, deve-se evitar empresas que possuem pendências judiciais que podem inviabilizar a continuidade da parceria.

Durante o processo de escolha, o futuro franqueado poderá levar a COF junto a uma pessoa mais experiente para analisar o documento. Esta ajuda pode ser importante para evitar desapontamentos ou prejuízos futuros.

6. Números do segmento

Outro aspecto para escolher uma franquia é analisar o segmento de mercado no qual ela atua. Alguns mercados podem se mostrar mais promissores do que outros em determinado momento.

Por exemplo, o atual momento da Economia no setor de franquias indica alguns segmentos em viés de crescimento.

Um deles é o mercado de franquias de Casa e Construção. De acordo com um levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF), este setor teve um saldo positivo de 12,8% no faturamento entre 2019 e 2020.

Outro setor com resultado positivo no mesmo período foi o de Saúde, Beleza e Bem-Estar, com aumento de 3,1% no faturamento.

Analisar os números do mercado da franquia é importante, mas não é determinante. Alguns setores, mesmo estando em um momento ruim, podem ser bastante promissores.

Ademais, empreendedores mais arrojados podem preferir segmentos em retração apostando, assim, em uma retomada forte em um futuro próximo.

Imagem de uma pessoa segurando um punhado de moedas nas mãos e uma planta crescendo nelas.
O empreendedor deve escolher o segmento de franquias que ele mais se identifica.

7. Investimento necessário na franquia

Por fim, para escolher uma franquia, é preciso levar em conta o investimento necessário para abrir o negócio.

O empreendedor deve optar por modelos de franquias que sejam adequados para sua capacidade de investimento naquele momento.

Alguns tipos de franquias exigem grande infraestrutura, ponto comercial em shopping ou grandes lojas. Dessa forma, o empreendedor deve saber se pode arcar com os custos até que o negócio comece a dar lucro.

Por outro lado, é possível escolher franquias mais baratas, principalmente as microfranquias, e não se arriscar tanto.

Assim como falamos anteriormente, o modelo de negócio deve combinar com o perfil do empreendedor. Isso levando em conta a sua capacidade financeira de investimento.

Dessa forma, o empresário pode optar por modelos home office, que exigem baixo investimento, sem ponto comercial ou a necessidade de um estoque.

Enfim, para ajudar você com algumas opções de para investir, separamos um conteúdo com várias franquias baratas. Basta clicar aqui.

Advertisement