O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Para Empreender » 9 fatos sobre franquia que você precisa saber para investir no seu negócio

9 fatos sobre franquia que você precisa saber para investir no seu negócio

Sumário

Antes de investir no franchising, veja alguns fatos sobre franquia que são importantes de conhecer para iniciar seu empreendimento.

Segundo pesquisa da Onepoll, cerca de 77% dos brasileiros sonham em ter o próprio negócio e o mercado de franchising é uma das possibilidades. Porém, para que o sonho não vire pesadelo, é preciso conhecer bem este tipo de negócio antes de investir.

Logo, são diversos detalhes desse modelo de empreendimento que o franqueado deve saber. Por isso, separamos alguns fatos sobre franquias. Continue a leitura e descubra!

Principais fatos sobre franquia para você conhecer

O modelo de franquias tem sido um formato de negócio chamativo para novos empreendedores. Seja por conta do mercado sólido ou pelas facilidades que apresenta.

Mas nem todas as pessoas que desejam ter este tipo de negócio sabem sobre os detalhes que o acompanham. Portanto, confira a seguir fatos sobre franquia para você conhecer um pouco mais sobre este modelo de negócio e assim, tomar uma decisão mais segura.

1. Franquia é modelo de negócio mais seguro

O modelo de franquia é um empreendimento mais seguro do que iniciar um negócio do zero. Isso porque, o franqueado conta com suportes e uma estrutura pronta que diminui os riscos da empresa.

Nesse sentido, segundo o Sebrae, as empresas comuns têm uma taxa de mortalidade de mais de 20% nos dois primeiros anos de mercado. Este índice chega a 60% nos primeiros cinco anos.

Em contrapartida, as franquias, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), têm apenas 5% de chances de fechar as portas no mesmo período.

Desse modo, o empreendedor vai investir em uma empresa pronta, com um produto ou serviço testado e aprovado pelo público.

Da mesma forma, ao analisar a Circular de Oferta de Franquia (COF), o empreendedor sabe quanto terá que gastar para iniciar o negócio.

Assim, o empresário não precisará investir dinheiro a mais ou correr o risco de aplicá-lo de forma errada. Por fum, a franquia impede que os empreendedores cometam erros. Algo bastante comum em negócios iniciados do zero.

Esse é, inclusive, um dos pontos abordados no curso Guia Para Iniciantes. São aulas que você pode acessar clicando aqui, assistir online e entender em detalhes como investir em uma franquia. Sem prejuízo e sem o risco de escolher uma marca ruim.

2. Franchising tem maior estabilidade

Como dito, o mundo do franchising tem atraído a atenção dos empreendedores que sonham em ter o próprio negócio. O sistema de franquias é atrativo, pois conta com um grande faturamento e mesmo diante de crises econômicas, consegue se manter sólido.

Então, para se ter uma ideia, mesmo com a pandemia do novo coronavírus e os impactos gerados na Economia global, o setor teve fortes ganhos.

O faturamento do franchising brasileiro foi superior a R$ 185 bilhões, em 2021, segundo a ABF. Logo, a retomada do setor tem sido surpreendente.

No primeiro semestre de 2022, o franchising faturou mais de R$ 91 bilhões, também de acordo com a ABF. Esses números chegam perto do ganho para o mesmo período de 2019, antes da pandemia.

Enfim, o mercado de franquias conta com uma solidez bem atrativa para os empreendedores, principalmente os mais cautelosos.

3. É preciso avaliar bem a franqueadora antes de investir

Um dos fatos sobre franquia que o empreendedor deve atentar é em relação às franqueadoras. O mercado é amplo, com empresas sólidas e outras em início de trabalho.

Nesse sentido, antes de investir, o empreendedor deve analisar se a franqueadora é confiável. Estudar bem como está a saúde financeira da empresa, sua reputação junto ao mercado e os suportes oferecidos.

Além disso, saber se o negócio é rentável para os franqueados. Para isso, na Circular de Oferta de Franquia (COF), é possível ter acesso aos contatos dos franqueados e ex-franqueados da marca.

Sendo assim, o empreendedor pode perguntar como é o dia a dia do negócio, se a franqueadora oferece tudo aquilo que promete. Enfim, se o negócio é bom como dizem.

4. Treinamento do franqueado é essencial

Por meio desses cursos que o dono da rede de franquias consegue transmitir suas ideias para os empreendedores e funcionários da marca. Além de se aproximar dos colaboradores, entender o que cada um deseja e identificar o perfil dos participantes da franquia.

Mas nem todo franqueador oferece os mesmos treinamentos e suportes. Existem empresas melhores preparadas para repassar este know-how e outras nem tanto.

Dessa forma, é fundamental conhecer antes o que a franqueadora oferece, se o empreendedor consegue se preparar bem com os treinamentos da rede.

Nesse sentido, não se deixe levar apenas por uma bela propaganda da franquia. Um bom negócio é aquela franqueadora que dá os suportes necessários para o desenvolvimento dos franqueados.

Portanto, nos treinamentos a franqueadora passa todo o know-how da empresa e o modo de fazer em cada etapa do negócio.

Mas são com os treinamentos que os franqueados conseguirão manter a padronização exigida pelo modelo de franquia. Então, é fundamental que sejam completos e fáceis de entender.

5. Existem multas por quebra de contrato

No Contrato de franquia existem diversos detalhes que permitem que a parceria entre franqueado e franqueadora corra bem ao longo do tempo.

Por causa disso, o empreendedor deve atentar-se também a todas as cláusulas do documento. Já uma parte importante do contrato são as multas.

Nesse sentido, é comum existir um tempo mínimo de contrato, que varia de dois a três anos ou até mais de dez anos.

Porém, no caso, se o franqueado desejar encerrar a parceria antes do prazo e sem justificativa, será obrigado a pagar uma multa à franqueadora pela quebra contratual.

Da mesma forma, existem detalhes do negócio que também geram multas, como venda de produtos diferentes ao da franquia, uso de insumos não homologados, entre outros.

Enfim, o empreendedor deve ficar ligado ao contrato e todas as cláusulas que podem vir a provocar o pagamento de multa.

6. Franquia pode ser para renda extra

É bastante comum uma pessoa ter um emprego formal e investir em uma franquia para ter uma renda extra. Isso porque, são vários modelos de franquias mais baratos e enxutos. Logo, podem ser abertos na própria casa do franqueado e não exigem um trabalho em tempo integral.

Dessa forma, a pessoa não precisa deixar o emprego fixo e pode manter as rendas do trabalho e da franquia. Basta escolher um tipo de negócio que lhe permita isso.

O mercado conta com muitas franquias com flexibilidade de horário de trabalho, que se ajustam à rotina do empreendedor com facilidade. São diversos modelos que permitem atuar de diferentes maneiras.

Por exemplo, as microfranquias são negócios mais enxutos, com investimento de até R$ 135 mil. Muitos deles atuam em Home Office ou Home Based.

Porém, existem também formatos mais robustos, com investimentos maiores, cabendo ao empreendedor escolher aquele que melhor lhe atende.

O franqueado pode começar atuando sozinho e com o tempo e maturação do negócio ter um gerente para que possa manter o emprego e ter a franquia.

Este processo pode ser complicado. Por isso, o empreendedor deve saber escolher bem o negócio que vai ter juntamente com o emprego. Em seguida, conseguirá lidar com esses dois projetos e ter tempo para atuar com qualidade em todos.

7. Sucesso da franquia depende do franqueado

Um ponto muito importante para o empreendedor entender sobre franquias é que o sucesso do seu negócio depende mais de você do que da própria marca.

Nesse sentido, muitos empreendedores acham que o modelo de franquia, por ser sólido, rentável e ter vários suportes, se desenvolve praticamente sozinho.

Dessa forma, esse é um dos fatos sobre franquia que precisam ser destacados. A dedicação para o negócio é igual a qualquer outra. Ou seja, vai exigir do empreendedor muito tempo de trabalho.

Assim, não adiantará ter uma marca reconhecida, com o suporte e todos os outros pontos positivos do modelo se o franqueado não trabalhar.

Tenha cuidado com franquias que estão muito na moda, ou seja, que são famosas com pouco tempo de atuação. Ao atrair muitos empreendedores, a empresa pode não conseguir dar os suportes necessários a todos.

Do mesmo modo, essa franquia em destaque pode oferecer algum tipo de produto ou serviço que está fazendo sucesso naquele momento, mas pode não se manter assim. Enfim, avalie com calma suas opções, pois o seu negócio precisa ser bom no dia a dia.

8. Candidato deve ter acesso à COF

Um documento importante para as tratativas entre a franqueadora e o empreendedor interessado em sua marca é como dito, a Circular de Oferta de Franquia (COF)

Este documento é regulamentado pela Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19) e nele devem conter informações detalhadas sobre o modelo de negócio.

Por exemplo, o histórico da empresa e seus balanços financeiros, os direitos e deveres das partes, os suportes oferecidos pela franqueadora. Ainda, os custos de implantação e taxas a serem pagas pelo franqueado.

O modelo de franquia tem diversos tipos de taxas que o empreendedor deve pagar para começar o negócio e também ao longo do tempo. Este é um dos fatos sobre franquia que você precisa entender antes de investir.

Nesse sentido, tem a taxa de franquia, mais famosa, que remunera o know-how e a licença para o uso da marca da rede. Mas também é uma maneira de pagar pelos treinamentos e suportes iniciais para o franqueado.

Além disso, existem os royalties e a taxa de propaganda, valores pagos mensalmente ou em outra regularidade. O primeiro remunera o uso do sistema da rede bem como uso dos produtos ou serviços. O outro é um valor usado para o trabalho de divulgação da marca e das redes como um todo.

Portanto, por lei, o empreendedor deve ter acesso a todos esses detalhes antes de fechar negócio. Ainda, deve ter no mínimo dez dias para analisar a COF antes de assinar o Contrato de Franquia.

Este contrato não é por tempo indeterminado, tendo como costume um prazo de cinco anos, mas que pode variar de acordo com a franquia.

9. Reconhecimento da marca é fundamental

Por último e não menos importante, invista em uma franquia reconhecida pelo mercado. Isso porque, o mercado de franchising é bastante concorrido. São centenas de empresas que buscam um lugar ao sol e oferecem diversos tipos de negócios.

Porém, um dos pilares que impulsiona uma unidade de franquia, é o reconhecimento do público em relação àquela marca. Dessa forma, invista em franquias com reconhecimento, que já tenham um público cativo para seus produtos ou serviços.

Investir em uma marca desconhecida pode não ser uma boa ideia, pois você corre riscos. Então, pode até decolar e crescer no mercado, mas também pode vir a cair no esquecimento e deixar você no prejuízo.

Assim, analise bem o que os consumidores falam da marca nas redes sociais. Com isso, você direciona seu investimento para franquias com um negócio sólido e confiável.

Como falado, um dos fatos sobre franquia é que o mercado é muito amplo, com muitas opções. Nesse sentido, claro que uma boa marca é importante, mas o seu reconhecimento não é a única coisa que conta. Por isso, é essencial analisar cada uma das alternativas que mais chamaram a sua atenção.

Enfim, analise bem as oportunidades que surgirem e que combinem com os seus objetivos e até o quanto tem para investir. Sendo assim, evite dar um passo maior do que a perna e se desestabilizar financeiramente.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje