Franquia Kopenhagen: vale a pena? Saiba a margem de lucros e quanto investir

Por
em
Imagem de pedaços de chocolate. Imagem ilustrativa texto franquia Kopenhagen.
Advertisement

Está pensando em investir no mercado de Alimentação e quer saber mais sobre a franquia Kopenhagen? Então, você veio ao lugar certo!

O segmento de franquias de Alimentação é o de maior ganhos no franchising brasileiro. Em 2020, foram mais de R$ 40 bilhões em faturamento, mesmo com a pandemia do novo coronavírus.

Uma das opções neste setor é a franquia Kopenhagen, e aqui você encontrar algumas informações fundamentais sobre a marca.

Conheça a franquia Kopenhagen

Quando se fala em chocolate, a franquia Kopenhagen é uma das marcas que vem à cabeça dos consumidores. É uma rede que oferece diversos produtos que estão no gosto popular.

A franquia apresenta uma história que remonta ao início do século XX, mais precisamente aos anos 1920. Foi nesse período que o casal David e Anna Kopenhagen vieram da Letônia para o Brasil.

Ao chegarem ao nosso país, o casal passou a produzir chocolates com uma receita europeia, e já em 1929 abriram sua primeira loja na cidade de São Paulo (SP).

Advertisement

A partir daí, a marca foi ganhando corpo e, em 1943, inaugurou sua própria fábrica.

A marca trabalha com chocolates finos dos mais variados, e alguns de seus produtos são bem conhecidos. Por exemplo, o chocolate Nhá Benta, o Cherry Brandy e o Língua de Gato.

Além disso, a marca oferece chocolates em diversos formatos, como bombons, barras, ovos de páscoa, entre outros.

Conforme falamos, a franquia Kopenhagen é quase um clássico quando o assunto é uma franquia de Alimentação, um dos segmentos mais fortes do mercado brasileiro.

Além dos produtos, a marca oferece aos clientes qualidade e requinte, bem como uma expertise de mais de 35 anos de atuação no franchising.

Atualmente, a franquia Kopenhagen conta com mais de 420 unidades franqueadas pelo Brasil.

Vemos uma pessoa compartilhando uma caixa de bombons em formato de coração com a outra (imagem ilustrativa). Texto: franquia kopenhagen.
A Kopenhagen está no mercado de chocolates há quase um século.

Qual o faturamento de uma franquia Kopenhagen?

O empreendedor que investe em uma franquia como a Kopenhagen espera obter uma lucratividade diferenciada.

Por ser uma marca muito reconhecida no mercado, a franquia é uma forma de empreender em um negócio sólido.

Por apresentar um modelo de negócio estabelecido, o faturamento da franquia Kopenhagen é atrativo. Em média, uma unidade fatura cerca de R$ 70 mil por mês.

Contudo, este valor irá variar de acordo com modelo de negócio, pois a rede possui quatro deles para o empreendedor investir, sobre quais falaremos daqui a pouco.

Além disso, a lucratividade pode variar de 10 a 15%, dependendo do local de instalação da unidade, seus custos, entre outros fatores.

Do mesmo modo, algumas sazonalidades podem influenciar nos ganhos da unidade, como épocas festivas. Por exemplo, melhora nas vendas na Páscoa ou então no Natal.

Por ser uma marca já famosa no mercado, o empreendedor consegue dar os primeiros passos do negócio de forma mais rápida.

Assim, com pouco tempo de inauguração, a loja consegue captar boa quantidade de clientes, o que é mais difícil quando se inicia um negócio do zero.

Porém, isso exige um investimento maior, como falaremos agora. Mas antes, veja o ebook que separamos para você com tudo que você precisa saber antes de abrir uma franquia.

E-book "Tudo que você precisa saber antes de abrir uma franquia".

Preço para abrir uma franquia Kopenhagen

Quando o empreendedor investe em uma franquia Kopenhagen ele busca um modelo reconhecido no mercado.

A rede começou oferecendo apenas modelos de negócios de lojas, passando em seguida para formatos de quiosque. Hoje em dia, são quatro modelos variados para os empreendedores.

A franquia conta com uma fábrica central na cidade de Extrema (MG), em um complexo com 31 mil metros quadrados.

De lá os produtos são enviados para todas as unidades espalhadas pelo território mantendo, assim, a qualidade padrão para todas as lojas.

Por fim, vamos falar um pouco sobre cada um dos modelos de negócios da franquia Kopenhagen.

Loja

Este modelo é o mais completo da franquia, contanto com todos os produtos disponíveis no catálogo. Foi o primeiro formato adotado pela marca e segue como um grande atrativo para os empreendedores.

Este formato é ideal para ruas, shoppings, galerias e aeroportos. Além disso, exige um espaço mínimo de 40 metros quadrados para oferece comodidade no dia a dia aos clientes.

Dessa forma, exige um investimento em projeto arquitetônico e estrutura para acomodar a operação.

Por fim, o investimento inicial é a partir de R$ 390 mil. Este valor é uma projeção dos custos de reformas, móveis e equipamentos, bem como a taxa de franquia.

Contudo, não inclui capital de giro nem o estoque inicial, que deve ser adquirido antes da inauguração da loja.

Projeto Light

Advertisement

Este formato é o mais novo da franquia Kopenhagen, e é voltado para ruas, shoppings e galerias. Contudo, esta é uma operação um pouco mais enxuta, atrativa para pessoas que estejam apenas de passagem.

A modalidade Light ocupa o mesmo espaço do que uma loja convencional, 40 metros quatros no mínimo, mas exige um investimento inicial menor.

São cerca de R$ 280 mil para iniciar uma unidade neste formato, e assim como o modelo anterior, o valor não inclui capital de giro nem estoque inicial.

Container

Este modelo tem caído nas graças dos empreendedores por sua facilidade de implantação e por chamar a atenção do público.

Assim, o formato Container é voltado para parques, clubes e locais abertos, se tornando uma verdadeira atração por onde é instalado.

Vemos duas pessoas caminhando em um parque com seu cachorro de estimação (imagem ilustrativa). Texto: franquia kopenhagen.
Os parques são um bom lugar para instalar uma unidade container da franquia Kopenhagen.

O container já vem com algumas das estruturas da loja, o que diminui os custos de implantação. Por fim, para iniciar esta unidade, o valor mínimo é de R$ 150 mil, em um espaço de cerca de 29 metros quadrados.

Quiosque

Um modelo já tradicional da franquia Kopenhagen é o quiosque. Ele também é voltado para shoppings, galerias e aeroportos. Porém, conta com menos produtos e, por isso, exige um custo menor.

É um modelo bem atrativo para empreendedores com menos capital para investir, mas que desejam atuar com uma marca reconhecida. O investimento para este modelo parte dos R$ 110 mil.

Como abrir uma franquia Kopenhagen?

Assim como grande parte dos negócios envolvendo o franchising, existe um perfil desejável de empreendedor apto a abrir uma franquia Kopenhagen.

Sendo assim, um dos primeiros passos para abrir uma unidade da franquia é entrar em contato com a franqueadora, conhecer o modelo de negócio e se candidatar.

Em seguida, analise bem a Circular de Oferta de Franquia(COF) da marca para saber dos suportes, custos e detalhes da parceria.

Neste primeiro momento, a franqueadora irá lhe conhecer melhor e analisar o seu perfil pessoal e financeiro. Isso se dá por meio de questionários e entrevistas.

Também é neste momento que a franqueadora informa as regiões nas quais é possível instalar uma unidade. Nem sempre é o franqueado que determina onde quer iniciar o empreendimento.

A franqueadora auxilia nesta escolha, por meio de estudos de geomarketing, para atuar em regiões atrativas para a marca. Depois desse processo, tornando-se um franqueado, começam os passos para iniciar o empreendimento.

Um projeto arquitetônico é feito para a unidade, para que ela possa ter a identidade de marca da franquia e, com isso, ser reconhecida por todos os consumidores.

Além disso, antes de inaugurar, o franqueado passa por treinamentos para conhecer a operação e a forma de gestão da unidade.

Vemos alguns pedaços de chocolate sobre papel alumínio (imagem ilustrativa). Texto: franquia Kopenhagen.
O franqueado da rede recebe treinamento para a gestão da unidade.

Da mesma forma, o franqueado conta com um auxílio para um marketing eficiente nesta fase pré-inauguração.

Depois da inauguração, a franqueadora seguirá acompanhando o desenvolvimento do negócio. Este suporte é para orientar caso o empreendedor tenha dúvida e para manter o padrão da marca.

Vale a pena abrir uma franquia de Alimentação?

Conforme falamos, o mercado de franquias de Alimentação é atrativo. É o segmento de maior faturamento entre os 11 do franchising brasileiro.

O setor faturou mais de R$ 40 bilhões em 2020, e uma das vantagens é sua solidez, bem como seus nichos de atuação bem amplos.

Dessa forma, o empreendedor pode encontrar franquias dos mais variados tipos, com modelos de negócios diferentes, voltados para públicos dos mais variados.

Dentro deste setor, o ramo que tem atraído empreendedores de franquias de Alimentação é o de açaí. A venda deste produto cresce cerca de 15% ao ano, segundo a Embrapa.

Uma das marcas deste setor é a Cream Berry. A franquia trabalha com a venda de açaí e diversos tipos de acompanhamentos.

A rede conta com vários tipos de cremes de frutas, e ainda, oferece aos clientes um formato self-service. Dessa forma, os consumidores podem fazer as mais variadas combinações.

Além disso, a Cream Berry apresenta um modelo de negócio enxuto para os empreendedores, com custos atrativos e boa rentabilidade. São dois modelos de negócios para investir.

No Convencional, o franqueado trabalha com produtos pré-definidos no cardápio. Já no modelo Express, o foco é no self-service.

Por fim, o franqueado recebe uma série de suportes da franqueadora. No vídeo abaixo, você confere o depoimento de um franqueado da Cream Berry falando sobre isso.

Leia mais sobre a Cream Berry no conteúdo completo que separamos para você clicando aqui.

Assim, entre em contato com a franqueadora para se tornar um fraqueado Cream Berry. Porém, se ainda não se decidiu em qual franquia investir, receba um consultoria com especialistas para lhe ajudar nesta escolha. Basta acessa: henriquemol.com.br.

Advertisement