Franquia Kopenhagen: vale a pena investir?

Publicado em
foto de uma caixa com bombons em vários formatos, como de coração e quadrado. Imagem ilustrativa para texto franquia kopenhagen.

Quem pensa em investir no segmento de alimentação e, especificamente, em chocolate, provavelmente já deve ter ouvido falar na franquia Kopenhagen. Então, se você quer saber mais sobre essa franquia, acompanhe as informações que reunimos neste artigo.

O ramo da alimentação é, sem dúvida, um dos mais atrativos do mercado, principalmente, porque é possível trabalhar com uma variedade de produtos e atingir amplos públicos.

Além disso, quando falamos em chocolate, sabemos que boa parte das pessoas não dispensam esse doce e procuram por várias formas de consumi-lo no dia a dia. É justamente por isso que investir na área pode ser uma boa escolha. 

Mas para quem busca uma forma mais segura de começar um negócio e ter o acompanhamento de pessoas preparadas, as franquias são boas opções. E uma das marcas conhecidas na área é a Kopenhagen, saiba mais sobre ela a seguir. 

Qual o lucro da franquia Kopenhagen?

Um dos primeiros questionamentos feitos por quem deseja investir em algo, é se aquele negócio possui bons lucros e chances de sucesso. E quando estamos falando de franquias, isso não seria diferente. 

No entanto, quando falamos em lucros, precisamos sempre considerar alguns fatores que são fundamentais para o bom desenvolvimento da loja. Primeiramente, é importante que a unidade Kopenhagen esteja localizada em um ponto comercial atrativo e que tenha um público ideal para consumir. 

Afinal, não adianta nada ter uma marca muito bem estruturada e de sucesso, se ela não está em um ambiente que tenha o público-alvo adequado e que seja de fácil acesso. Além disso, temos todo o esforço do franqueado para seguir o plano de negócios e conseguir administrar corretamente o negócio. 

Mas, de modo geral, considerando uma loja da franquia que esteja sendo bem administrada, temos uma projeção de lucro por volta de 15%. Desse modo, o faturamento médio mensal pode chegar a R$ 70 mil.

Para entender melhor como abrir uma franquia de sucesso, confira a seguir nosso ebook gratuito com 20 passos para conseguir um bom negócio. 

ebook passos abrir franquia sucesso

História da Kopenhagen

A história da franquia Kopenhagen começou com o casal David e Anna Kopenhagen, que eram da Letônia, mas que imigraram para o Brasil, e ainda na década de 1920 começaram os primeiros passos da marca. 

O casal produzia em sua própria casa um famoso doce europeu, conhecido como marzipan, uma mistura de amêndoas e açúcar.  No entanto, com o enorme sucesso que os doces faziam, logo o casal Kopenhagen conseguiu inaugurar uma loja. 

Então, em 1929, no centro de São Paulo, os Kopenhagen abriram sua primeira loja, que já levava o sobrenome do casal. Desde então, a marca veio ganhando ainda mais espaço e destaque pelos chocolates e bombons com combinações surpreendentes. 

A fábrica própria da Kopenhagen foi inaugurada em 1943 e, atualmente, eles já trabalham com mais de 300 produtos, oferecendo bombons, chocolates tradicionais, cestas especiais, panetones, cremes de avelãs e mais. 

Além disso, com a expansão por meio de franquias, a marca conseguiu se espalhar por todo Brasil, contando com mais de 400 unidades, que funcionam em modelos de lojas tradicionais ou quiosques.  

Modelos de negócio da franquia Kopenhagen

As franquias são formas de negócio que já contam com diferentes modelos de negócio no momento de atuação. Existem, por exemplo, marcas que oferecem o formato home office, quiosque, containers e também as lojas tradicionais. 

Dessa maneira, quando o investidor decide abrir sua própria unidade, ele tem a possibilidade de escolher o formato que mais o agrada. Para isso, ele pode considerar os valores de investimento, já que modelos menores tendem a ser mais econômicos

Além disso, o futuro franqueado pode levar em consideração o formato ideal para seus planos, e no qual ele terá melhor desenvoltura, bem-estar e prazer em atuar. Enfim, são várias possibilidades. 

Foto de duas barras de chocolate pela metade em uma superfície marrom. Imagem ilustrativa para texto kopenhagen.
A Kopenhagen trabalha com diversos produtos em lojas e quiosques.

E no caso da franquia Kopenhagen, temos dois formatos de atuação possíveis, a loja física e o quiosque. Para entender melhor como eles funcionam, acompanhe a seguir. 

Loja física

A loja física é um formato tradicional, no qual, o franqueado conta com um espaço maior, sendo possível ter várias prateleiras com produtos e, claro, tendo um ambiente para a recepção de clientes. Neste modelo, é preciso ter em torno de seis funcionários, com área mínima de 30 m².

Sendo assim, por ter uma estrutura maior, a loja precisa de uma espaço reformado para se adequar ao padrão da marca, com toda decoração específica. Dessa maneira, para abrir uma unidade em formato de loja é preciso ter uma disponibilidade financeira de no mínimo R$ 700 mil, contando com instalação a partir de R$ 400 mil.

Quiosque da Kopenhagen

Já o quiosque da franquia Kopenhagen conta com uma estrutura mais compacta, assim, ele pode ocupar corredores de centros comerciais e shoppings. Portanto, temos uma área mínima de 12 m² e por volta de quatro funcionários. 

O quiosque também conta com uma decoração e estrutura própria da marca, bem padronizado, mas é um espaço menor. Neles, os funcionários realizam um atendimento direto com os clientes, sem todas as prateleiras de exposição como existem em lojas. Para o quiosque é necessário uma disponibilidade financeira de no mínimo R$ 450 mil, com um investimento a partir de R$ 200 mil.

Para conhecer mais sobre a franquia Kopenhagen e entender como funciona o modelo de negócio, assista o vídeo que separamos abaixo.

Perfil do franqueado da franquia de chocolates

Para quem tem interesse na franquia Kopenhagen, saiba que a empresa espera um determinado perfil de franqueado, para que a nova unidade funcione de forma adequada. 

Sendo assim, o primeiro fator, é que a pessoa tenha tempo disponível para se dedicar às atividades. Afinal, como franqueado, você terá que lidar com várias situações diferentes no dia a dia, e precisa estar disponível sempre que algum imprevisto acontecer ou quando for necessário a sua atuação. 

Além disso, espera-se que a pessoa tenha um perfil empreendedor e consiga administrar a unidade seguindo o plano de negócios da marca, e saiba ter um bom planejamento financeiro. Como franqueado, além de lidar com questões financeiras, é preciso também acompanhar vários processos como de venda, estoque, divulgação e mais. 

E claro, é importante saber lidar com pessoas. Isso porque além dos clientes, o franqueado terá que lidar com uma equipe, saber motivar e organizar seus funcionários. 

E antes de tudo, é preciso também que a pessoa se identifique com o segmento e tenha interesse real em trabalhar com chocolates. Como dissemos, o negócio será parte importante da vida do novo franqueado e para garantir sucesso, é importante que a pessoa esteja envolvida com algo que goste de trabalhar. 

Vantagens de abrir uma unidade da franquia Kopenhagen

Apostar em uma franquia, além de ser algo bem seguro, também traz inúmeras vantagens. Isso porque você estará investindo em uma marca que já existe e que conta com bons números no mercado, sendo reconhecida pelos clientes. 

Ou seja, você não estará começando algo totalmente do zero e correndo riscos de não funcionar. Em uma franquia, você já possui um modelo de negócio pré-estabelecido, testado e usado por outros franqueados, logo, as chances de sucesso são maiores. 

Da mesma forma, temos um mercado muito propício, já que quando falamos de alimentação temos um público-alvo amplo. Para se ter ideia, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em 2019, o segmento de alimentação faturou cerca de R$ 48,3 bilhões. 

Viu como o segmento de alimentação pode ser uma boa oportunidade? Você pode, inclusive, se interessar pelo nosso artigo Franquias de alimentação: 30 opções para investir.

*Informações publicadas em Fevereiro/2021. Os preços das franquias podem sofrer atualizações. Informe-se com a franqueadora da marca.