O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Para Empreender » Como planejar o negócio próprio e ter sucesso como empreendedor?

Como planejar o negócio próprio e ter sucesso como empreendedor?

Sumário

Se você tem o sonho de empreender, saiba que é preciso planejar o negócio próprio da melhor maneira possível. Por isso, os primeiros passos são fundamentais para o sucesso do empreendimento. Aqui, separamos alguns passos para orientar o empreendedor neste planejamento.

Ter o negócio próprio é o sonho da grande maioria dos brasileiros. Segundo pesquisa, 77% deles querem empreender. Mas este processo exige cuidado, para que você não acabe em prejuízo.

Portanto, é importante que você fique atento a alguns detalhes deste processo. Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

7 passos para planejar o negócio próprio

Não basta o empreendedor ter uma boa ideia de negócio. Antes de iniciar o projeto, precisa planejar bem o processo de implementação da sua empresa. Isso porque, existem diversas coisas a serem levadas em consideração para que o sonho do empreendedorismo não acabe em pesadelo e prejuízo.

Assim, separamos algumas dicas para quem pensa em montar um negócio e deseja fazer isso da forma mais eficiente e segura, sem atropelos. Acompanhe!

1. Entenda o que você quer fazer

Para planejar o negócio próprio, um dos primeiros passos é analisar o tipo de empreendimento que deseja abrir.

Logo, é necessário entender os diversos detalhes daquilo que você vai fazer. Nesse sentido, estudar bem sobre os produtos e serviços, o mercado e o seu público-alvo.

Da mesma forma, buscar referências em negócios parecidos com o que você vai implementar para entender a dinâmica do processo.

Nesse sentido, encontre dentro de si qual o tipo de negócio mais combina com o seu perfil. Depois, entenda quais das suas características devem orientar a sua escolha por um empreendimento.

Por exemplo, você pode estar em busca de um novo negócio para ter uma renda extra e continuar no seu emprego. Sabendo disso, deve entender que tipo de empresa terá que abrir.

Neste caso, investir em algo que seja em home office, que não exija um horário fixo de trabalho e permita uma flexibilidade maior pode ser a melhor opção.

Então, se você deseja atuar com atendimento ao público, veja as melhores maneiras de fazer isso. Pesquise qual o mercado está mais aquecido. Em seguida, veja qual deles poderá lhe trazer um retorno maior.

Planejar o negócio próprio não é simplesmente decidir por abrir uma pizzaria, um agência de viagens ou algo do tipo. Mas é preciso entender de forma detalhada como será o trabalho no dia a dia do negócio.

2. Saiba o quanto pode investir

Um dos pilares para o bom desenvolvimento de um negócio é ter uma base financeira sólida. Para isso, o empreendedor deve avaliar bem qual a sua capacidade de investimento.

Não adianta ter mil ideias na hora de planejar o negócio próprio, se não tem capital suficiente para investir na estrutura necessária.

O empreendedor deve saber equilibrar o tipo de negócio no qual deseja trabalhar com a sua capacidade de investimento.

Segundo a pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a taxa de mortalidade dos pequenos negócios é de 29%.

Um dos principais motivos para o fechamento das empresas, é a falta de capital de giro, pois acaba faltando dinheiro para pagar as contas rotineiras no momento em que a entrada das vendas deixa um pouco a desejar.

Este fluxo de caixa é um ponto importante que o empreendedor precisa ficar atento durante o planejamento do negócio próprio.

Avalie em quanto tempo consegue pagar as contas até que o negócio entre em equilíbrio. Mais vale investir R$ 5 mil e ter R$ 5 mil de reserva do que investir R$ 10 mil e não ter reserva nenhuma.

Nesse sentido, se as vendas forem abaixo do esperado, suas contas poderão ficar em aberto e seus funcionários sem receber. Dessa forma, vale a pena planejar bem o capital que será gasto, para não afetar a vida financeira pessoal do empreendedor.

3. Estabeleça seus objetivos

Iniciar um empreendimento exige muito cuidado conforme falamos. Ainda, para chegar a algum lugar, é preciso saber onde se quer chegar. Nesse sentido, a empresa deve começar os trabalhos sabendo dos seus objetivos e metas a serem alcançadas.

Essas metas podem ser de faturamento, de expansão, de produção, entre outros parâmetros. Sendo assim, cabe ao empreendedor planejar de forma lúcida estes objetivos.

As métricas são uma forma de orientar o trabalho e saber se o negócio está se desenvolvendo ou não. Para isso, é preciso avaliar cada etapa.

Desse modo, o empreendedor deve ter metas que possam ser alcançadas, ou seja, algo factível. Até porque, não adianta colocar uma meta inalcançável, pois isso acaba por frustrar o empreendedor.

Alguns destes objetivos devem ser colocados no papel ou em uma planilha, para ser acompanhado de forma mais simples e direta. Enfim, definir estes objetivos é fundamental para direcionar os esforços da empresa, para que suas ações possam surtir impacto na busca pela meta posta.

4. Estude seu mercado local

Iniciar um negócio é como plantar uma semente. Isso porque, precisa de nutrientes no solo para se desenvolver, e ainda, espaço para crescer. Do mesmo modo é com um empreendimento que precisa de um mercado atrativo, com uma boa quantidade de clientes que possam consumir na sua empresa.

Assim, planeje o negócio próprio, avalie como está o mercado local e saiba se tem o público-alvo da sua empresa. Esses são os nutrientes que farão o seu empreendimento crescer.

Depois, você deve observar seus potenciais concorrentes. Entrar em conflito uma empresa sólida na região não é uma opção das mais atrativas.

Nesse sentido, busque conhecer as lacunas do mercado que você possa explorar. Estude os tipos de produtos ou serviços que faltam na região ou que os concorrentes não sejam tão eficientes.

Você pode achar um nicho inexplorado e com isso, fortalecer o seu negócio próprio. Este movimento de se encaixar ao mercado faz parte de uma estratégia de sucesso.

Ademais, caso note que sua empresa será apenas mais uma, encontre um diferencial. Seja o preço, atendimento, comodidade, qualidade ou qualquer detalhe que faça com que se sobressaia.

Por último, caso não seja possível, não deixe de pensar em explorar outras regiões que estejam carentes do seu produto ou serviço.

5. Escolha o modelo de negócio

Depois de muito avaliar como iniciar o próprio negócio, o empreendedor pode escolher entre começar uma empresa do zero ou investir em uma franquia. Ao iniciar um empreendimento do zero, o empresário terá muito mais trabalho e correrá maiores riscos do processo não sair como planejado.

Nesse sentido, terá que pensar cada parte da empresa, estudar cada etapa do processo para implementar suas ideias. Contudo, o modelo de franquia possibilita que o empreendedor pule algumas etapas na hora de planejar o negócio próprio.

A franquia tem uma operação estruturada e preestabelecida. Assim, é como iniciar uma empresa quase pronta. Além disso, o franqueado consegue saber antes, quanto terá de gastar para o processo. Na Circular de Oferta de Franquia(COF) é informado os custos para implementação do negócio.

Esse é, inclusive, um dos pontos abordados no curso Guia para Iniciantes. São aulas que você pode acessar clicando aqui, assistir online e entender em detalhes como investir em uma franquia. Sem prejuízo e sem o risco de escolher uma marca ruim.

Com estas informações, fica mais fácil fazer o planejamento financeiro, evitando que o empreendedor dê um passo maior do que as próprias pernas. Ainda, recebe o suporte da franqueadora como: treinamentos, auxílio para a escolha do melhor local para unidade, para as ações de marketing etc.

Porém, o empreendedor precisa seguir grande parte das orientações da franqueadora. Por contrato, deve manter a padronização do seu negócio conforme as outras unidades da franquia. Já para o empreendedor que busca implementar sua criatividade, a melhor maneira é iniciar um negócio do zero.

Dessa forma, terá a liberdade de atuar de acordo com as suas convicções e desejos, dando os seus retoques pessoais para a empresa.

6. Planeje seus passos

Falamos muito até aqui sobre planejamento. Pensar cada passo do processo de implementação de um negócio é essencial para garantir o seu desenvolvimento saudável.

Nesse sentido, é preciso estruturar um plano de negócio. Nele, você deve avaliar os custos, quanto pensa em ganhar, como fazer a captação de clientes e a gestão administrativa.

Mesmo para o empreendedor que investe em uma franquia com um plano de negócio próprio, estruturado pela franqueadora, é necessário pensar os seus passos como empresário.

Com isso, saiba como será o seu trabalho no dia a dia, o tempo que poderá se dedicar e como ficarão os seus outros projetos de vida. Enfim, planejar sua caminhada pessoal, para que possa coincidir com os passos da sua empresa.

7. Busque conhecimento

Por último, mas não menos importante, faz parte do processo de planejar o negócio próprio a busca por informações que possam subsidiar suas escolhas e atitudes como empreendedor.

Então, para quem não tem nenhuma experiência, é preciso buscar todas as informações possíveis, estudar, assistir workshops, e ainda, ter a orientação de pessoas de confiança.

Da mesma forma, caso lhe falte conhecimento para algum dos suportes de um negócio como marketing, gestão ou atendimento ao cliente, é possível aprender bastante coisa, até mesmo de graça.

A internet nos aproxima de um mundo de informações que podem ser importantes para quem quer iniciar o negócio próprio e deseja estar preparado para o processo.

Enfim, após se sentir confortável e pronto para investir, é a hora de escolher uma entre as várias opções de franquias no mercado. Agora que você está por dentro do assunto, invista na sua empresa e ganhe dinheiro.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje