Saiba como funciona o processo de formatação de franquias

Por
em
Advertisement

O processo de formatação de franquias pode ser a porta de entrada de uma empresa para um crescimento no mercado do franchising.

No entanto, a empresa deve tomar cuidado com cada uma das etapas deste processo, pois ele exige muitas informações, pesquisa e conhecimento sobre o negócio.

Por conta disso, deve-se dar bastante atenção ao processo de formatação que, se bem feito, pode impactar positivamente os negócios da empresa.

Vale a pena franquear minha empresa?

O sistema de franquias tem atraído a atenção de muitos empreendedores que observam seu potencial.

Somente entre 2019 e 2020, o setor de franquias faturou mais de R$ 170 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Franquias (ABF). E isso aconteceu mesmo com a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

Além de um segmento com bom potencial, se tornar um franqueador é interessante para expansão da marca.

Com a venda de unidades deste modelo de negócio, a empresa consegue abrir unidades sem necessitar investir tanto para isso. Pois o franqueado é quem fica responsável pela gestão e gastos da unidade.

Nesse sentido, a empresa pode se dedicar mais ao suporte e menos com a atividade fim que seria a venda.

Da mesma forma, a empresa franqueadora aumenta sua rentabilidade com as novas unidades franqueadas. São mais produtos ou serviços da marca sendo vendidos, o que gera lucro.

Ademais, a marca ainda ganha em escala junto aos fornecedores. Com isso, ela pode negociar melhores preços, além de aumentar a lucratividade do negócio, seja para ela ou para os futuros franqueados.

Como resultado, a empresa aumenta o seu reconhecimento no mercado e fortalece sua marca com a expansão das unidades.

Imagem de um gráfico crescente e uma mão desenhando uma seta acompanhando o gráfico (imagem ilustrativa). Texto: processo de formatação de franquias.
A marca pode conseguir um bom crescimento ao se transformar em uma franqueadora.

9 passos do processo de formatação de franquias

O processo de formatação de franquias é complexo, principalmente para alguns tipos de negócios.

Assim, para elucidar as etapas desta transformação da empresa em franquia, trazemos passo a passo para você conhecer um pouco mais.

1. Análise de franqueabilidade do negócio

O primeiro passo para o processo de formatação de franquias é a análise da franqueabilidade do negócio. O resultado desta etapa irá orientar grande parte dos próximos passos.

Esta análise consiste em verificar se a empresa consegue se adaptar a um modelo de franquia, ou seja, se o seu modo de operação pode ser replicado em unidades franqueadas.

Dessa forma, para ser franqueável, a empresa pode passar por algumas adaptações em seu modo de produção. Isso pode ser necessário principalmente para processos internos mais complexos ou caros.

Ainda nesta análise, a empresa estuda se seus produtos ou serviços se encaixam no segmento de franquias. Se eles conseguirão concorrer no setor com as demais redes de franquias.

2. Análise de viabilidade financeira

Advertisement

Em seguida, a análise da viabilidade financeira será fundamental para que a empresa prossiga com o seu processo de mudança.

Se a análise da franqueabilidade foi positiva, agora, é momento de calcular os custos para esta mudança e verificar se a empresa está pronta para os investimentos que serão necessários.

Além dos investimentos para as adaptações do modo de produção, a empresa deve investir em uma estruturação interna para ser uma boa franqueadora.

Da mesma forma, o modelo de franquia deve ser lucrativo não só para a empresa, mas também para os futuros franqueados. Isso pode exigir alterações no processo produtivo ou de gestão para torna-los mais enxutos.

Faça o download do ebook abaixo e entenda mais sobre os custos de uma franquia. É gratuito!

ebook todos os custos de uma franquia

3. Ajustes no modelo de negócio

Assim como visto anteriormente, a empresa deve ter capacidade financeira para investir em adaptações no seu modelo de negócio.

Estes ajustes podem ser necessários para tornar a operação mais barata ou mais simples para, então, ser replicada com maior facilidade.

Pois alguns processos ou produtos podem não ser ideais para uma franquia, necessitando de algumas adaptações para concorrer bem no segmento.

Da mesma forma, um ajuste necessário é na estrutura interna, com funcionários capacitados para dar suporte aos franqueados, além de gestores para saber como cuidar do plano de expansão da marca.

Enfim, cada etapa do processo, do produto à distribuição, deve se adaptar para este novo modo de operação da marca. Para isso, a empresa pode contar com a ajuda de uma consultoria especializada.

4. Definição da COF

Os trâmites para a negociação de uma franquia passam pela elaboração de alguns documentos importantes. Entre eles está a Circular de Oferta de Franquia (COF), regulamentada pela Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19).

De acordo com a norma, a COF deve conter uma série de informações sobre a franqueadora, bem como o modelo de negócios da franquia.

Ela deve ser clara com relação aos direitos e deveres da franqueadora e dos franqueados. Da mesma forma, ela precisa apresentar todos os investimentos necessários para abrir uma unidade da marca e as taxas a serem pagas.

A COF traz segurança jurídica para o negócio, nesse sentido, o que é bom para atrair novos empreendedores.

5. Contrato de franquia e DRE

A COF, de acordo com a Lei de Franquias, deve conter ainda os balanços e demonstrações financeiras da empresa franqueadora relativos aos dois últimos exercícios.

Por outro lado, em relação ao Demonstrativo de Resultados em Exercício (DRE), não há obrigatoriedade de apresentação. No entanto, muitas franqueadoras optam por repassar esta informação no contrato de franquia.

Vemos uma calculadora sobre um documento com diversos números e estimativas. Há sobre este papel uma caneta. É possível ver ainda um valor X circulado.
Conforme a lei, algumas informações sobre as finanças da franqueadora devem estar na COF.

6. Padronização de processos

O modelo de franquia exige uma padronização de processos para que cada unidade da rede possa realizar o mesmo trabalho e ofertar os mesmos produtos ou serviços.

Já na análise de franqueabilidade, deve-se pensar na melhor maneira de homogeneizar os processos. Com isso, fica mais fácil sua replicação nas unidades.

Normalmente, por conta disso, se faz alguns ajustes nas operações internas, ainda que seja para simplificar ou baratear as etapas.

7. Manuais e treinamentos

A padronização dos processos, citada acima, exige o treinamento dos funcionários e dos franqueados para que garantir a qualidade dos produtos ou serviços.

Ao passa pelo processo de formatação de franquias, a marca deve dar bastante atenção aos treinamentos e aos manuais para repassar o seu know-how aos franqueados.

Os treinamentos devem auxiliar os franqueados na melhor execução dos trabalhos da unidade. Da mesma forma, os manuais devem ser simples, claros e objetivos para que possam ser bem utilizados por qualquer pessoa, mesmo sem experiência prévia.

8. Marketing para captação de franqueados

Depois do processo de formatação, cabe à franqueadora agora investir na busca por empreendedores que desejam ser donos do próprio negócio.

O marketing de captação de franqueados é uma etapa importante e praticamente permanente em uma rede de franquias.

Dessa forma, a marca consegue se expandir, conseguindo novos franqueados e mais receitas para a empresa.

Esta divulgação deve ser bem planejada, com estratégias voltadas para o seu público-alvo. Se for para atrair empreendedores, a divulgação deve ser feita de uma maneira. Se for para fortalecer a marca junto aos clientes, é exigido outro tipo de marketing.

9. Venda das franquias

O marketing de vendas deve estar bem alinhado com o setor de venda das franquias. Os funcionários devem ser bem treinados para captar empreendedores, principalmente aqueles mais desconfiados.

Para franquias baratas a venda pode ser até um pouco mais fácil. No entanto, negócios com maiores investimentos podem enfrentar resistência dos empreendedores.

Enfim, cabe aos vendedores terem “jogo de cintura” e criatividade. E isso faz parte do treinamento dado pela franqueadora para otimizar as vendas.

Confira abaixo um vídeo com mais informações sobre como transformar sua empresa em uma franquia!

Consultoria para abrir franquia: conheça essa opção

Todo este processo que falamos acima pode ficar mais fácil de se realizar com a ajuda de uma consultoria especializada.

Com este auxílio, a empresa poderá realizar o processo de formatação de franquias de maneira segura e eficiente. Pois, com a expertise de uma consultoria, será possível fazer mudanças condizentes com o mercado e com os concorrentes.

Uma consultoria que pode ajudar sua empresa é a NX Franquias, especialista em formatação de franquias e expansão de marcas. Ela conta com setores que podem ajudar em cada uma das etapas do processo de mudança da empresa.

A NX Franquias faz parte do grupo Encontre Sua Franquia, uma das maiores holdings de franquias do Brasil, com mais de mil franqueados e setes marcas em seu portfólio.

Contar com a expertise de uma empresa como a NX Franquias e o do grupo Encontre Sua Franquia é bastante vantajoso neste processo de formatação.

A empresa lhe ajuda com detalhes desta mudança, alterações e adaptações, tudo para deixar o modelo mais rentável e atrativo. Da mesma forma, ela elimina dúvidas com relação a parte burocrática e legal.

Do mesmo modo, a NX Franquias, além da formatação, conta com projetos para expansão de marcas, como Feiras de Franquias, sejam virtuais ou presenciais.

Deseja transformar a sua empresa em uma franquia? Entre em contato com a NX Franquias clicando no link abaixo.

Advertisement
Advertisement