7 passos de como montar a sua própria rede de franquia

Por
em
Pessoa apontando para frente com grafismos complementando a imagem. Ilustração do texto sobre rede de franquia.
Advertisement

A empresa que deseja se transformar em uma rede de franquia deve estar atenta para que este processo seja feito da maneira correta.

Muitas marcas têm enxergado no mercado de franchising uma oportunidade de expansão e de fortalecer seu negócio. Mas elas precisam estar preparadas para conseguir êxito neste setor tão concorrido.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o sistema de franquias do mercado brasileiro faturou mais de R$ 185 bilhões, em 2021.

Portanto, neste texto confira algumas informações relevantes para quem deseja montar uma rede de franquia e ainda está amadurecendo a ideia. Continue a leitura!

Vantagens de montar uma rede de franquia

Algumas empresas expandem seus negócios com a abertura de sucursais, usando investimentos próprios da marca. Porém, este tipo de crescimento demanda maior capital, além de exigir pessoas de confiança para os novos estabelecimentos.

Por meio de uma rede de franquia, a empresa pode fazer esta expansão de modo que outros empreendedores invistam para a abertura da unidade. Dessa forma, possibilita a abertura de mais lojas ao longo do tempo.

Mesmo que a vantagem seja de menor investimento para a expansão, não significa que a empresa não precise investir para se tornar um negócio viável como franquia. No entanto, o investimento pode ser menor.

Do mesmo modo, a rede de franquia fortalece a marca e faz com que ela possa chegar a regiões distantes da sede da empresa. Além de aumentar as vendas dos produtos ou serviços.

Além disso, com a expansão por meio de franchising, a empresa pode conseguir negociar preços mais baixos com fornecedores. Com o crescimento da demanda, sua capacidade de compra expande e com isso seu poder de negociação.

Embora existam essas e outras vantagens, é preciso cautela para esse processo de transformar a empresa em uma rede de franquia.

Por isso, avalie bem o setor de franquias no qual irá atuar. Por exemplo, Serviços Educacionais, Hotelaria e Turismo, Serviços e Outros Negócios, Saúde, Beleza e Bem-Estar, são segmentos com diversos atrativos.

Assim, acompanhe a seguir, algumas dicas para o empreendedor conhecer um pouco mais sobre este processo e analisar se é a hora de sua empresa virar uma rede de franquia.

Homem idoso vestindo um terno e fazendo sinal de positivo com as mãos. Ilustração do texto sobre rede de franquia.
O modelo de franquias é bastante atrativo para os empreendedores de diferentes perfis.

Saiba como montar sua própria rede de franquia

Até chegar a se tornar uma rede de franquia, a empresa deve passar por um processo complexo. Isso porque, ela deve fazer uma análise completa de sua estrutura para realizar essa transformação de maneira sólida.

Nesse sentido, até chegar no nível de uma franquia do Mc´Donalds ou uma Cacau Show demora. Não é simples chegar neste patamar e por isso, faz parte ter um cuidado especial com este processo.

São diversos pontos da estrutura do negócio que precisam ser revistos, reorganizados e adaptados para este modelo, como mostramos aqui. Assim, atente-se desde a primeira vez que pensar em estruturar o seu negócio até finalizar o processo.

1. Analise a viabilidade do negócio

Para a empresa se tornar uma rede de franquia, ela deve analisar se o seu negócio é viável para este modelo. Ou seja, se a sua operação pode ser replicada em unidades longe da sede.

Esta análise é feita por meio de um estudo de franqueabilidade, onde se avalia se o negócio da empresa pode passar por esta transformação para o modelo de franquia.

Então, nesses momentos, a empresa deve analisar seu modo de produção ou de serviços, adaptar processos internos e sua estrutura. Assim, saberá se é viável replicar o negócio por meio de franquias.

Do mesmo modo, a empresa pode avaliar se é possível uma gestão da marca, e ainda, se poderá oferecer um modelo de negócio atrativo.

Se o modo de produção exigir uma complexidade alta, pode ser inviável o modelo. Ou a empresa terá que manter essa parte do processo de forma centralizada e descentralizar apenas as outras etapas.

2. Avalie a viabilidade financeira da empresa

Advertisement

Em alguns casos, as empresas que passam por dificuldades financeiras resolvem investir em modelos de franquia para recuperar o caixa. Porém, essa prática provavelmente tornará o negócio inviável.

A empresa franqueadora deve estar com uma base financeira sólida para poder investir no processo de franqueamento. Desse modo, ela precisa rever processos, gestão do negócio, adaptar algumas etapas para torná-las mais baratas.

Tudo isso que a empresa deve fazer exige capital, para que só depois de se formatar de maneira sólida o negócio possa ser oferecido a empreendedores.

Pessoa regando uma planta em forma de cifrão. Ilustração do texto sobre rede de franquia.
A saúde financeira da empresa é determinante para o sucesso do negócio.

Da mesma forma, a empresa precisa avaliar se todo este processo vale a pena financeiramente, se haverá retorno suficiente para todas as partes.

Sendo assim, não basta que o negócio seja lucrativo para a empresa. Isso porque, também deve ser positivo para os futuros franqueados que investirão no negócio.

Afinal, se o negócio não for viável para os franqueados, será difícil conseguir vender a rede de franquia para os empreendedores, não é mesmo?

3. Elabore os documentos legais

A formatação de uma empresa em franquias passa também pela parte burocrática, que envolve alguns documentos legais.

Primeiramente, a empresa deve proteger sua marca junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). Assim, ela terá uso exclusivo de sua identidade frente ao público.

Da mesma forma, a empresa deve proteger etapas da produção que possuem alguma inovação ou know-how exclusivo.

Esta etapa é importante, pois diversos conhecimentos internos serão repassados para franqueados, que poderão se apoderar deles sem a devida proteção da marca. E com isso, usar tais conhecimentos para benefício próprio.

No mercado de franquias, outro documento importante é a Circular de Oferta de Franquias (COF), que deve ser elaborada pela franqueadora.

Logo, no documento, que é regulamentado pela Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19), deve constar informações importantes. Desse modo, precisa ter o balanço financeiro da empresa, os direitos e deveres das partes, bem como os investimentos necessários para cada unidade franqueada.

Advertisement

4. Estabeleça o padrão de produtos e processos

Assim como falamos anteriormente, a empresa que quer se tornar uma rede de franquia deve organizar seu negócio para este modelo. E isso passa por estabelecer um padrão de produtos e processos.

Esta padronização é a base do negócio de franquias e é fundamental para que a empresa possa se expandir para o maior número de unidades possível.

Então, a rede de franquia deve poder repassar aos futuros franqueados de maneira simples todos os aspectos da operação. Com isso, mesmo sem expertise ou conhecimentos técnicos, eles podem replicar os métodos em suas unidades.

Lupa sobre um livro. Imagem ilustrativa do texto rede de franquia.
A padronização dos processos pode ser feita por meio de manuais e treinamentos.

No processo de formatação de franquias, a empresa deve também elaborar manuais de operação para facilitar a disseminação dessas informações.

Como resultado, cada unidade poderá aplicar o modo de produção mesmo estando longe da sede da empresa.

5. Prepare treinamentos para franqueados

Da mesma forma que a empresa necessita elaborar manuais para suas operações, deve-se também ter treinamentos para os franqueados.

Alguns modelos de negócio exigem do empreendedor alguns conhecimentos do modo de fazer da empresa.

Por isso, muitas marcas possuem uma “Universidade” para reunir todo o conhecimento do negócio e repassar aos colaboradores. Já para a franquia é importante este tipo de estrutura.

Além disso, existem também treinamentos para que o empreendedor se familiarize com o setor de atuação. Assim, no segmento de Alimentação, pode haver um treinamento para melhor conservar os insumos ou como preparar os produtos.

Nesse sentido, a empresa também pode treinar seus franqueados para a melhor execução dos serviços da marca, bem como auxiliar na gestão do negócio.

Afinal de contas, esses treinamentos são importantes para que as unidades sigam o padrão da marca de maneira qualificada.

6. Realize o marketing para expansão

Uma rede de franquia para se destacar no concorrido mercado de franchising deve investir no marketing da empresa. É ainda mais importante se a marca está começando neste segmento.

Neste caso, a empresa deve trabalhar o marketing em dois viés. Primeiramente, mostrar para os seus clientes que a marca ainda é a mesma, que os produtos e serviços são os mesmos com os quais estão acostumados, ou até melhores.

Assim, a rede fortalece ainda mais seu posicionamento no mercado. Dessa forma, atrai os olhares também dos empreendedores. E agora, neste segundo passo, deve fazer sua propaganda buscando investidores para as novas unidades.

Nesse sentido, fazer o marketing voltado para empreendedores que querem ser donos do próprio negócio. Depois, mostrando para eles a rentabilidade e qualidade da rede de franquia que está surgindo.

E este marketing deve ser direcionado para diferentes meios de comunicação, principalmente internet e redes sociais.

Tela com vários ícones de redes sociais.
O marketing on-line é uma das ferramentas de divulgação de novas redes de franquias.

7. Venda as franquias

Além de um marketing atrativo, a empresa também deve correr atrás dos empreendedores por meio de feiras virtuais ou presenciais de franquias.

Isso porque, a venda das franquias pode ser feita diretamente pela empresa ou por meio de alguma consultoria especializada.

Da mesma forma, a internet é um poderoso meio de vendas, e necessita-se levar em consideração o seu alcance. Por isso, um bom site da marca é um dos suportes para este momento de comercialização.

Consultoria para montar franquia: vale a pena?

Conforme falamos, este processo de transformação da empresa em uma rede de franquia é complexo. Portanto, é fundamental que seja bem feito.

Para isso, existem algumas consultorias especializadas, que podem tornar este trabalho mais fácil e eficiente. Logo, a empresa já está mais acostumada a detectar falhas no processo e gargalos que podem influenciar o modelo de negócio.

Da mesma forma, a consultoria pode repassar as mudanças na gestão necessárias para que o modelo de franchising da marca seja um sucesso. Além, é claro, de auxílios para um trabalho de marketing direcionado e atrativo para novos franqueados.

Por fim, esse trabalho é fundamental para que nenhuma etapa do processo seja defeituosa, o que pode impactar negativamente a marca no futuro. Então, com uma consultoria, antes do lançamento da franquia, já é possível detectar inconsistências.

Agora que está por dentro do assunto, conheça um pouco mais sobre o mercado de franchising. Para isso, separamos uma lista de franquias baratas neste conteúdo. Acesse e descubra!

Advertisement
Advertisement