Investidor anjo é melhor que sócio? Entenda o que é e como conseguir alguém para investir

Por
em
Imagem de um homem explicando algo com um quadro escrito Start Up. Imagem ilustrativa texto investidor anjo.
Advertisement

Você já deve ter ouvido falar em investidor anjo. Quem busca iniciar um negócio pode recorrer a esta figura, sobre a qual falaremos neste conteúdo. Acompanhe!

Se você é um dos 77% dos brasileiros que tem o sonho de empreender, segundo pesquisa da Onepoll, deve ficar atento. Um investidor anjo pode ser sua oportunidade de conseguir capital para investir em sua empresa.

Contudo, nem todo mundo sabe como funciona este tipo de investidor e muitas vezes nem sabem quem ele é. Acompanhe um pouco deste assunto no texto abaixo.

Afinal, o que é investimento anjo?

Investidor anjo é uma pessoa que investe em novos negócios que estejam no início e assume um certo risco junto ao empreendedor.

Nesse sentido, ele faz um aporte financeiro e costuma ficar com 5% a 15% com o lucro da sua empresa em troca deste capital.

O valor do investimento pode variar muito, podendo ir de R$ 50 mil até R$ 1 milhão. Não há uma regra para isso, pois varia de acordo com o modelo de negócio.

Além disso, este investidor oferece também um auxílio para a empresa. Isso porque, muitas vezes ele é um ex-empreendedor ou uma pessoa com know-how na área.

O termo “investidor anjo” surgiu nos Estados Unidos no início do século XX, chamados de Angel Investor ou Business Angel. Eram investidores que bancavam as produções das peças da Broadway.

O termo evoluiu ao longo do tempo e, atualmente, não são apenas pessoas físicas que atuam como investidores anjos no empreendedorismo. Existem empresas, grupos e também fundos de investimentos.

Por não fornecer apenas o capital, mas também orientações, compartilhar experiências e conhecimento com o empreendedor, o investidor ficou conhecido como Smart-Money.

É um investimento feito por meio de contrato, bem delimitado para ter segurança jurídica de ambas as partes.

Imagem de pessoas em uma sala fazendo uma exposição de ideias em um quadro. Imagem ilustrativa texto investidor anjo.
O investidor anjo pode ser um parceiro de grande valia para o seu negócio.

Como funciona um investidor anjo?

O Investidor Anjo costuma ser um empresário, empreendedor ou executivo que já trilhou uma carreira de sucesso. Assim, ele acumulou recursos suficientes para alocar uma parte para investir em novas empresas.

Diferente do que muitos imaginam, o Investidor Anjo normalmente não é detentor de grandes fortunas. Ele oferece também sua experiência apoiando a empresa.

Dessa forma, o empreendedor recebe este aporte e auxílio, mas não deve contar com o investidor anjo no dia a dia do negócio. Normalmente eles não participam da direção executiva da empresa.

Outro ponto importante é que este investidor costuma ter também uma rede de contatos no mercado. Assim, ele pode ajudar sua empresa a se inserir em um contexto mais atrativo.

Ele entra em negócios em estágio inicial, ou seja, em empresas que estão quase no momento de faturar ou que já realizaram as primeiras vendas.

Porém, podem existir investidores anjos com algumas características diferentes. Alguns podem participar mais ativamente do negócio. Outros podem entrar um pouco mais cedo no empreendimento.

Isso vai variar de acordo com a avaliação do investidor anjo, quanto às chances de sucesso da empresa e se possui alto potencial de crescimento.

Da mesma forma, este investidor não visa um retorno financeiro rápido. Muitas vezes ele prefere que o lucro seja reinvestido no negócio para potencializar seu crescimento.

Tudo isso parece ser muito bom para quem busca empreender mas não possui tanto capital. Mas um investidor anjo não vai “cair do céu” direto para a sua empresa, como veremos a seguir.

Como conseguir um investidor anjo para sua empresa

Não é uma tarefa simples conseguir um investidor anjo para sua empresa. Você precisa buscar por uma maneira de mostrar o seu empreendimento para ele.

Nesse sentido, é preciso mostrar o alto potencial de retorno do seu negócio e uma solidez da empresa que possa atrair a atenção do mercado.

Imagem de uma folha com gráficos, uma lupa sobre estes gráficos e um sinal de porcentagem ao lado. Imagem ilustrativa texto investidor anjo.
O empreendedor precisa apresentar bons números de sua empresa para atrair investidores.

Tenha em mente que você será um dos tantos que buscam a ajuda deste investidor. Assim, deve ter em mãos uma boa apresentação do seu negócio.

Para conseguir um investidor anjo para sua empresa, você deve conhecer alguns nomes do mercado e onde pode encontrá-los.

Nomes como João Kepler, Marco Poli, Benício Filho e Fábio Bueno Neto, são figuras conhecidas. Existem também grupos de investidores anjos como o Anjos do Brasil, entre alguns outros.

Para atrair estes e outros nomes para o seu negócio, esteja em eventos como feiras de Startups, eventos de demonstração, entre outros.

Alguns destes investidores anjos também possuem site próprio para o contato inicial. Prepare e tenha sempre em mãos uma boa apresentação da sua empresa, mostrando o que ela é e o que pode se tornar.

Posso conseguir um investidor-anjo para franquia?

O modelo de franquia é um formato de empresa onde o empreendedor investe em um negócio preestabelecido. Ele paga para utilizar o know-how da empresa e sua marca.

Nesse sentido, cada unidade é igual a outra, oferecendo os mesmo produtos ou serviços, com a mesma identidade e uma operação padronizada.

Além disso, o franqueado recebe suportes da franqueadora, como treinamentos e orientações para a gestão em geral do negócio. O empreendedor recebe, ainda, informações sobre os custos do negócio por meio da Circular de Oferta de Franquia (COF).

É um modelo mais simples e seguro para implementar, pois é um negócio que já pulou algumas etapas de maturação.

Não é incomum conseguir um investidor anjo para ajudar na abertura e desenvolvimento de uma franquia. Este tipo de pessoa está sempre atenta a boas oportunidades e as franquias são uma delas.

Cabe ao franqueado fazer uma boa apresentação e mostrar o potencial que o seu negócio tem no mercado.

Por ser um empreendimento com uma marca reconhecida, isso pode facilitar. Este modelo ainda tem a vantagem de ter um plano pronto, feito pela franqueadora.

Assim, o empreendedor já tem uma ideia do caminho a trilhar para desenvolver a franquia.

Do mesmo modo, como conta com os suportes e treinamentos da franqueadora, tem mais conhecimento para gerir a empresa. E assim, melhores serão suas perspectivas de ganhos.

Imagem de um home cumprimentando uma mulher de negócios. Imagem ilustrativa texto investidor anjo.
O mercado de franchising também é um terreno fértil para parcerias com investidores anjos.

Investidor anjo ou sócio: qual é melhor?

Tanto o investidor anjo, como o sócio, são figuras importantes que podem contribuir muito com um empreendimento. Contudo, tudo vai depender do estágio do negócio, bem como o perfil do franqueado.

O investidor anjo é o parceiro ideal para auxiliar um empreendedor que tenha menos experiência e precisa de orientação.

O franqueado poderá, por exemplo, ter acesso aos contatos do investidor anjo. Contudo, não terá ajuda no dia a dia do negócio. Além disso, como já falamos, este investidor não costuma ter mais do que 15% da empresa.

Já um sócio pode ser o ideal para o empreendedor que precisa de mais capital e consegue uma lucratividade suficiente para dividir com este parceiro.

Este é um fator importante, pois um sócio em um negócio pouco lucrativo pode não ser interessante. Isso porque, deve-se levar em conta a divisão dos lucros.

Da mesma forma, o sócio pode entrar atuando também no dia a dia do negócio, para auxiliar o empreendedor nesta jornada.

Porém, esta parceria precisa ser bem delimitada para não haver problemas de direcionamento. Ou seja, é preciso definir quem manda e como manda.

Cada uma destas figuras é interessante para determinado perfil de negócio, e o empreendedor deve estar atento quando deve recorrer a um ou a outro.

Imagem de uma calculadora em uma mesa cheia de folhas com gráficos variados.
O empreendedor deve avaliar as possibilidades de ganhos para buscar um sócio ou um investidor anjo.

Vale a pena abrir um negócio agora?

Como falamos, ter um negócio próprio é o sonho da maioria dos brasileiros. Contudo, você não se deve deixar espantar pela crise econômica pela qual o Brasil se encontra.

Com o desemprego em alta, com mais de 14 milhões de desempregados, abrir um negócio é, sim, uma boa solução.

Além de não depender de patrão, as possibilidades de ganhos são maiores do que grande parte dos empregos no mercado.

Da mesma forma, o negócio próprio permite uma flexibilidade de horário de trabalho em certos momentos e ainda proporciona ao novo empresário a chance de trabalhar com o que gosta.

Este é um fator importante. O empreendedor deve buscar investir em um negócio com o qual se identifique. Seja por conta de seus gostos pessoais ou pelas experiências que já teve.

Escolher o negócio é um processo que demanda cuidado. É preciso avaliar não só o seu próprio perfil, como também o mercado local.

Do mesmo modo, o empreendedor deve estudar os nichos que apresentam boas possibilidades de ganhos. Além de escolher um negócio que esteja de acordo com sua capacidade financeira.

Assim, leia o nosso conteúdo com diversas franquias baratas, que atuam nos mais variados nichos de mercado, clicando aqui.

Caso opte por uma marca, entre em contato com a franqueadora. Porém, se ainda não se decidiu e está com dúvidas, receba uma consultoria gratuita com especialistas que vão indicar a franquia ideal para você. Acesse: henriquemol.com.br.

Advertisement
Advertisement