O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Empreendedorismo » Negócios em sociedade: vale a pena ter um sócio? Vantagens e desvantagens

Negócios em sociedade: vale a pena ter um sócio? Vantagens e desvantagens

Sumário

Muitos investidores buscam negócios em sociedade para contar com ajuda no investimento. No entanto, pode surgir a dúvida se vale a pena. Continue lendo para descobrir!

No Brasil, cerca de 50 milhões de pessoas desejam abrir o próprio negócio nos próximos três anos. Dessa forma, a sociedade pode ser uma forma de facilitar a realização do sonho.

Por isso, cabe ao empreendedor analisar se deseja ter negócios em sociedade ou não. Sendo assim, confira vantagens e desvantagens de uma sociedade no texto abaixo.

Posso ter um sócio para abrir uma franquia?

No modelo de franquias, também é possível ter sócios. O sócio-administrador precisa do tempo disponível para se dedicar ao empreendimento.

Além disso, é necessário que ele tenha algumas características que facilitem o negócio, como apresentar um perfil empreendedor e entender a proposta da empresa.

Já o sócio investidor é relacionado ao emprego de capital. Ou seja, ele é quem vai bancar os custos para colocar a empresa para funcionar. 

Porém, o sócio pode atuar na operação da unidade também. O mais importante é que cada sócio assuma suas responsabilidades.

Mulher digitando no computador. Existem cadernos e papéis sobre a mesa. Imagem ilustrativa do texto sobre negócios em sociedade.
Os papéis de cada sócio devem ser bem definidos.

Dessa forma, empresários que estão na linha de frente da franquia devem estar comprometidos com o trabalho para se dedicar com a mão na massa e a operação do negócio.

Mas os investidores devem ter conhecimento sobre finanças e também ter o capital de giro para manter a unidade operando durante o prazo de retorno estipulado na franquia.

Um ponto importante é que ao deixar a franquia nas mãos do sócio-administrador, o investidor precisa ter um cuidado ainda maior na escolha do parceiro que vai gerir o negócio.

Isso porque, se houver prejuízo financeiro, ele terá que arcar com eles caso a unidade não funcione.

No entanto, caso o empreendedor não se sinta à vontade para chamar alguém para ser sócio da franquia com ele e precisar de recursos financeiros, poderá optar por pedir um empréstimo.

Desse modo, existem diversas linhas de créditos voltadas para a abertura de franquias. Essa pode ser a solução para o empreendedor abrir o seu negócio.

Porém, leve em consideração que os juros a serem pagos aos bancos são altos e acaba saindo mais caro do que ter um sócio investidor.

Vantagens de ter um sócio no negócio

Abrir uma franquia com sócio é um tipo de negócio que pode ser vantajoso. Porém, é preciso analisar muitas questões antes de optar por negócios em sociedade.

Primeiramente, abrir uma franquia com um sócio pode ser uma boa saída para quem não tem o valor total de investimento.

Assim, como vimos acima, é preciso definir se o seu sócio é responsável por auxiliar na administração da empresa ou apenas participar dos lucros da rede de franquia.

Mulher de costas apontando dedo para outra sentada de frente para a imagem. Imagem ilustrativa do texto sobre negócios em sociedade.
Escolher bem o sócio é fundamental para evitar problemas com o negócio.

Isso porque, em muitos casos, os sócios optaram por fazer um investimento financeiro, mas não participam da gestão.

Esta alternativa pode ser interessante para quem está disposto a administrar o negócio, mas precisa do dinheiro para colocar a empresa em prática. Nesse sentido, é possível abrir uma franquia com um sócio e dividir a gestão.

Por fim, antes de ter negócios em sociedade, é necessário analisar uma série de fatores. Então, confira abaixo as vantagens para buscar um ou todos os sócios em seu futuro negócio.

Divisão de responsabilidades

Em uma sociedade empresarial, você não estará sozinho. Isso significa que as tarefas podem ser divididas e o tempo também. Logo, esse fato possibilita que cada sócio possa aproveitar melhor o seu próprio tempo livre com outras atividades.

Além disso, é importante ter um contrato bem detalhado, em que todos os aspectos da sociedade e da prestação de serviços, constem de maneira clara.

Este documento é chamado de contrato social ou de sociedade. Desse modo, é importante que o mesmo seja redigido por um profissional adequado, como um advogado.

Combinação de conhecimentos

Outra vantagem é a combinação de conhecimentos. Afinal, pode ser que você não tenha conhecimento suficiente para gerir a franquia.

Nesse caso, pode ser interessante contar com um sócio com mais experiência ou buscar por uma pessoa que tenha noções básicas de administração.

Por exemplo, uma pessoa que já viveu sucessos e fracassos no mundo dos negócios pode ter lições importantes para compartilhar e ajudá-lo a lidar com os desafios do cotidiano.

Outro exemplo, é se a pessoa não quer aprender algo de gestão, pode ter como sócio alguém que saiba lidar com essas questões. Assim, é importante escolher um sócio que tenha características complementares à sua.

Mas tenha cuidado para alinhar junto a este sócio as ideias e expectativas em relação ao negócio. Isso porque, cada um deve estar ciente do que precisa fazer. Desse modo, a parte que vimos no tópico anterior, a divisão de responsabilidades, precisa estar bem definida.

Duas mulheres, sendo que uma aperta as mãos de alguém de costas para a imagem. Ilustração do texto sobre negócios em sociedade.
Pode ser interessante contar com um sócio com mais experiência para contribuir com o negócio.

Investimento rateado

Às vezes um empreendedor deseja abrir uma franquia, mas não possui todo o capital para fazer o investimento inicial.

Nesse sentido, ter um sócio investidor vai lhe ajudar a abrir uma franquia. Sendo assim, o empreendedor será o responsável pela administração do negócio e o sócio será remunerado conforme definido no contrato estabelecido entre vocês.

Por isso, para evitar possíveis problemas, é preciso regulamentar a participação nos lucros deste sócio.

Parceria como apoio

É fundamental escolher um sócio com o qual o empreendedor tenha alguma afinidade. Então, pode ser um parente ou amigo próximo em que ele possa confiar e ajudar nos negócios.

Por isso, o empreendedor deve avaliar bem a situação, conversar com as pessoas que ele tenha em mente e que aceitem fazer essa parceria.

Mas lembre-se que esse sócio deve alinhar as ideias com as do futuro franqueado. Isso porque, mesmo que essa pessoa seja da família ou amigo do empreendedor, pode acontecer desentendimentos, se não tiver um contrato e uma negociação realizada previamente.

Menor risco financeiro

Como última vantagem que vamos citar no texto de hoje sobre negócios em sociedade, está o menor risco, inclusive financeiro. Isso porque, em sociedade, entre os sócios não apenas os lucros são divididos, mas quaisquer prejuízos.

Nesse sentido, o fato de ter um sócio mitiga os riscos também de uma administração errada ou que sofra problemas, já que cada um pode opinar e propor ajustes no modelo de gestão.

Outra vantagem financeira é que no caso de haver sócio, o negócio passa a ter uma capacidade de investimento maior, já que ambos podem contribuir. Por último, vocês podem escolher uma franquia com um investimento inicial maior, se preferirem.

Desvantagens de abrir negócios em sociedade

Sabemos que problemas entre sócios podem acontecer, já que são normais em uma relação. Sendo assim, separamos algumas desvantagens de negócios em sociedade.

É possível encontrar várias relações entre sócios que são bem-sucedidas. Dessa forma, se esse é o seu desejo, cabe avaliar os itens abaixo na hora de escolher o seu parceiro e se organizar para não ter problemas futuros.

Pessoas com as mãos unidas.
Uma sociedade pode não ser tão simples como parece.

Problemas nas relações pessoais

Antes de mais nada, é importante deixar as expectativas claras. Isso porque, tanto você, como a outra pessoa, têm expectativas e objetivos já traçados. Logo, deixar tudo explicado pode reduzir as chances de desentendimentos.

Então, na hora de abrir uma franquia com um sócio, é necessário escolher uma pessoa com a qual você tenha um bom relacionamento. No entanto, é importante tomar cuidado já que a sua escolha não pode se basear somente em afinidade.

Afinal, ter um bom relacionamento interpessoal não é garantia de que a sociedade vai dar certo. Isso também tem haver com as competências e contribuições, além do envolvimento da pessoa.

No caso das franquias, esse processo pode ser mais simples. Isso porque, a matriz disponibiliza um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF), que estabelece todas as necessidades de investimento, atribuições e outras características.

Assim, ao analisar este documento, o sócio poderá entender melhor com o que vai ter que lidar e quais os investimentos necessários.

Outra situação que pode acontecer é de você e seu sócio não terem os mesmos objetivos com o negócio.

Por isso, é importante que os envolvidos conversem com franqueza e pesquisem antes sobre o empreendimento. Por último, vocês poderão alinhar suas metas e trabalhar juntos para excelentes resultados.

Dificuldade de tomar decisões

Algumas pessoas são mais indecisas, outras são mais práticas. Na hora da tomada de decisão, também podem surgir dificuldades e divergências.

Afinal de contas, são duas pessoas diferentes. Portanto, por mais alinhadas que estejam, os questionamentos são normais e inerentes ao relacionamento.

Desse modo, é preciso ter em mente que, ao ter um sócio, pode ser necessário ceder algumas vezes e não deixar atrapalhar na agilidade de tomada de decisão.

Divisão de lucros

Em outro tópico citamos a vantagem de ter uma sociedade já que a capacidade de investimento aumenta. No entanto, uma desvantagem é o resultado líquido.

Nesse sentido, é preciso ocorrer a divisão pelos sócios, o que reduz à metade os valores recebidos pelas partes. Outra questão, é que caso um dos sócios queira sair do negócio, haverá pontos burocráticos a serem solucionados.

Um exemplo é a indenização do sócio que vai sair, além de um novo início de busca por outro sócio para substituição.

Pessoas sentadas em volta de uma mesa olhando o notebook.
Analise bem qual negócio você irá escolher.

Gostou da relação de vantagens e desvantagens? Mas como empreendedor, você também deve analisar se o negócio em que está investindo combina com seu perfil e objetivos.

Afinal, não adianta ter um sócio e descobrir que o negócio não era bem o que você queria, o que frustará vocês dois. Por isso, é essencial analisar com atenção a COF.

Desse modo, cada segmento tem suas particularidades. Assim, avalie cada área para saber se você tem afinidade com ela.

Estude também se a atuação é presencial ou home based, o tempo de dedicação e mais. Além de verificar o seu perfil, é preciso avaliar o mercado local.

Dessa forma, há uma série de fatores. Também podemos citar o público-alvo do negócio, ponto necessário para instalação da franquia, quem são os concorrentes e onde estão, fornecedores, hábitos de compra etc.

Com o negócio aberto, o papel do empreendedor passa ser administrar a unidade e aproveitar os suportes da franqueadora.

Agora que você já sabe tudo sobre como escolher um bom sócio, confira também este texto, leia “Franquias baratas e rentáveis: conheça as melhores opções no Brasil”.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje