O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Destaques ★ » O que é “royalties” em uma franquia? Saiba agora!

O que é “royalties” em uma franquia? Saiba agora!

Sumário

Muitas pessoas não sabem o que é royalties e como essa taxa funciona. Logo, acabam estranhando a existência de um valor recorrente ao longo do contrato de franquia. Neste artigo, você vai entender o que é essa cobrança, o que diz a lei e o impacto que pode gerar no seu empreendimento.

Os dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), mostram que o setor de franquias registrou um crescimento de 14,3%, em 2022, em comparação com 2021. Dessa forma, alcançou um faturamento total de R$ 211,4 bilhões, o que pode ser uma opção interessante para quem quer empreender e lucrar.

Então, ao assumir uma franquia, você precisa levar em consideração os possíveis gastos que envolvem o direito de explorar comercialmente uma determinada marca. Aqui, não estamos falando da estrutura física do negócio, mas das questões relacionadas ao trato da franqueadora com você.

Entre esses possíveis gastos estão os royalties. Essa taxa é fundamental para manter o seu acesso a toda tecnologia, suporte e treinamentos da franqueadora. A arrecadação dessa taxa ajuda a marca a manter a rede cada vez mais forte, é um benefício direto para o modelo de negócio. Continue a leitura!

Clique, conheça e compare FRANQUIAS LUCRATIVAS. Acesse!

Entenda o que é “royalties” no sistema de franchising

Uma das coisas mais importantes para quem quer abrir uma franquia é saber o que é royalties. Essa nomenclatura é referente a taxa necessária para que o empresário continue a explorar comercialmente os produtos ou serviços oferecidos pela marca. Além do suporte e treinamentos que fazem parte do sistema.

Seria como se você garantisse mais um período como franqueado. Porém, para que essa cobrança funcione dentro do esperado, é muito importante ficar atento à Circular de Oferta de Franquia (COF) e ver como esse valor é apresentado. Lembrando que deve ser o mesmo no contrato.

Para ficar mais claro o seu entendimento, podemos dizer que os royalties são remunerações periódicas que visam garantir os serviços prestados pela franqueadora ao franqueado. Logo que você assina o contrato e inicia suas operações, já é possível usufruir de todos esses direitos autorais.

Isso porque, para ser algo rentável também para a franqueadora, que precisa preparar uma equipe de suporte e de treinamento, é necessário realizar essa cobrança mensalmente, na maioria dos casos. Todavia, existem empresas que, por uma questão estratégica, acabam não cobrando essa taxa.

Geralmente são marcas no início de suas operações e precisam atrair empreendedores, principalmente em segmentos mais disputados. Mas é importante destacar que o fato de cobrar ou não os royalties não significa que a franqueadora é boa ou ruim.

Só é possível chegar a uma conclusão como essa se você analisar e estudar as empresas que mais chamaram a sua atenção. Não utilize essa taxa como critério para escolher sua franqueadora.

CURSO Guia Prático Sobre Franquias. Clique e confira o conteúdo completo sobre o franchising no Brasil, como investir e como faturar!

Inclusive, esse é um dos assuntos abordados no curso Franquias: Guia prático para iniciantes. Acesse e saiba mais sobre as aulas. Assim, potencialize o seu conhecimento sobre ter uma franquia de sucesso.

O que a Lei de Franquias diz sobre os royalties?

De acordo com a Lei de Franquia, os royalties devem ser apresentados na COF. No documento, o franqueado precisa identificar quais serão os serviços entregues pela franqueadora, como a transferência do know-how e expertise para o desenvolvimento do negócio.

Embora exija a sua disposição, a Lei não estipula nenhum tipo de padronização com relação ao caminho tomado até a chegada do valor. Isso fica a critério da própria franqueadora, que pode expor ou não. Afinal, cada marca tem as suas necessidades e questões que precisam ser consideradas.

Ao mesmo tempo, dentro da COF, é obrigatório informar se a taxa será cobrada, o período adotado pela franqueadora e a maneira como isso será feito. Existem dois modelos usados para isso.

Você pode encontrar marcas que consideram os royalties equivalentes a uma porcentagem do faturamento bruto, enquanto outras determinam o valor fixado na Circular. Porém, no caso das quantias crescentes ou decrescentes, a marca deve apresentar essa informação na COF e no contrato final.

Banner ProResultado consultoria. Clique e confira!

Sabendo o que é royalties, é importante entender a diferença comparado a taxa de franquia. Sobre esse ponto você confere a seguir. Acompanhe!

Qual a diferença entre taxa de franquia e royalties?

A taxa de franquia é a primeira cobrança feita assim que você assina o seu contrato como franqueado. O valor é fixo e único.

Sendo assim, permite que você tenha acesso ao direito de explorar comercialmente um serviço e/ou produto da marca em questão, além de iniciar seus primeiros contatos com o suporte e os treinamentos oferecidos.

Só nesse primeiro parágrafo fica fácil entender o motivo de confundir com os royalties. Porém, a primeira diferença entre a taxa de franquia e os royalties está no seu valor, que é maior, e que faz parte do investimento inicial do projeto. Ou seja, você paga essa taxa somente uma vez.

Assim como os royalties, as diretrizes sobre a taxa de franquia também precisam constar na COF, como qualquer outra cobrança. Então, se a franqueadora, após a assinatura do contrato, trouxe uma nova taxa ou algo que não estava combinado anteriormente, é passível de processo.

Banner Totall Marcas. Clique para conferir os serviços!

Caso você decida renovar o seu contrato, existem empresas que podem cobrar novamente a taxa de franquia, uma taxa de renovação ou apenas atualizar o contrato sem nenhum custo.

Mas é importante entender que as duas cobranças que estamos citamos – taxa de franquia e royalties – visam auxiliar a franqueadora no desenvolvimento da rede, na execução do seu plano de negócio, no uso da tecnologia operacional etc.

Porém, assim como os royalties, também existem marcas que não cobram a taxa de franquia. Mesmo que não haja essa despesa, isso não elimina a obrigatoriedade da franqueadora de auxiliar e oferece o suporte aos empreendedores, como prevê a lei.

Saiba qual o valor cobrado de royalties

Como dito, não existe um padrão, ficando a cargo da empresa. Além disso, sua periodicidade pode ser mensal, trimestral, semestral ou anual.

Existem algumas questões que vão impactar nesse valor, como a estrutura do suporte oferecido pela marca. Como vimos, há um papel estratégico a se considerar. Todavia, o mais importante aqui é analisar bem como a cobrança é apresentada na COF e no contrato.

MJG SOLUÇÕES EM ENGENHARIA. Clique e saiba como contratar essa empresa conceituada!

Royalties é igual a fundo de publicidade?

O pagamento de royalties funciona de modo totalmente diferente do fundo de publicidade. Um visa manter o direito de explorar comercialmente os produtos ou serviços de uma marca. Isso, além do acesso a treinamentos e suporte.

Já a outra, cria uma reserva destinada às campanhas de marketing da rede como um todo. Ao longo do texto, você pôde entender mais sobre como o pagamento dos royalties funcionam e suas vantagens.

Mesmo que seja algo comum, existem marcas que não realizam essa cobrança como um meio estratégico. Porém, é preciso ficar atento para que essa informação esteja presente em todos os documentos que envolvam o negócio.

Além disso, essa taxa é uma maneira de auxiliar a franqueadora nas atividades que visam a transferência do know-how e experiência da marca. Agora que você está por dentro do assunto, abra o seu negócio de sucesso e ganhe dinheiro.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje