Vale a pena abrir uma franquia com um sócio? Entenda como decidir o que fazer

Por
em
Imagem de um homem e uma mulher olhando para um computador. Imagem ilustrativa texto abrir uma franquia com sócio.
Advertisement

O empreendedor que deseja investir em um negócio próprio mas não tem muito dinheiro pode abrir uma franquia com sócio. Para isso, vamos trazer aqui algumas dicas para você realizar esta parceria.

O mercado de franquias chama a atenção dos empreendedores e são muitas as pessoas que desejam ter o negócio próprio. Segundo pesquisa da Onepoll realizada em 2019, 77% dos brasileiros sonham em empreender.

Porém, nem sempre o empreendedor possui dinheiro ou o tempo necessário para abrir uma franquia. Assim, a solução pode estar em ter um ou mais sócios para que o projeto possa sair do papel, como mostraremos aqui.

3 situações para abrir uma franquia com sócio

Na hora de iniciar o processo de abrir uma franquia, o empreendedor pode se deparar com alguns entraves que podem dificultar a sua vida.

O modelo de negócios de franquia, mesmo sendo mais simples em certos momentos, ainda precisa de um árduo trabalho no dia a dia. Além disso, exige alguns investimentos e cuidados para desenvolver o negócio.

Dessa forma, existem situações onde o empreendedor irá precisar abrir uma franquia com sócio para conseguir ter o próprio negócio.

Aqui falaremos de três situações que podem exigir um ou dois sócios para que o empreendedor consiga realizar o sonho de abrir a sua empresa. Acompanhe a leitura conosco!

1. Quando você não tem todo o dinheiro

Uma situação mais comum para quem deseja abrir uma franquia é quando não possui todo o capital para fazer o investimento inicial.

Nesse sentido, vale a pena ter um sócio investidor para lhe ajudar a abrir uma franquia. Com isso, o empreendedor será o responsável pela administração do negócio e o sócio será remunerado na proporção combinada.

Imagem de uma carteira de dinheiro vazia. Imagem ilustrativa texto abrir uma franquia com sócio.
Um sócio pode ser a solução para o empreendedor que não tem capital para abrir uma franquia.

Para evitar dores de cabeça, é preciso regulamentar a participação nos lucros deste sócio. Sendo asim, este valor deve ser estabelecido entre as partes.

Além disso, é fundamental escolher um sócio com o qual o empreendedor tenha alguma afinidade, muitas vezes um parente ou amigo próximo em que ele possa confiar.

Porém, caso o empreendedor não se sinta à vontade para chamar alguém para abrir uma franquia com ele, poderá optar por um empréstimo.

Existem nos bancos diversas linhas de crédito voltadas para a abertura de franquias. Essa pode ser a solução para o empreendedor que não deseja ter um sócio.

Contudo, os juros que se paga para os bancos não são tão atrativos e acaba saindo mais caro do que ter um sócio investidor.

Por isso, o empreendedor deve avaliar a sua situação, conversar com pessoas que possam topar fazer essa parceria. Esse sócio deve alinhar as ideias com as do futuro franqueado para colocar em prática o projeto do negócio próprio.

2. Se prefere dividir a gestão

Advertisement

Pode ser que o empreendedor até tenha todo o capital necessário para iniciar uma franquia, mas possui outros projetos e não conseguirá se dedicar o tempo necessário a este negócio.

Nessa hora é recomendável abrir uma franquia com sócio para que esse possa dividir a gestão do negócio com você.

Dessa forma, é necessário analisar como será a remuneração deste sócio, se por meio de um salário fixo ou participação nos lucros.

Contudo, o empreendedor deve avaliar as características que busca em um sócio para evitar um desgaste e com isso, o negócio lhe trazer mais preocupação do que satisfação.

Imagem de duas pessoas se cumprimentando em uma sala de reuniões. Imagem ilustrativa texto abrir uma franquia com sócio.
A sociedade deve ser bem delimitada entre os parceiros para que ocorra de forma sólida.

Um cuidado na hora de definir a remuneração do sócio é que ela seja mais baseada nos resultados do que em um valor fixo. Dessa forma, você terá um sócio mais disposto e dedicado, já que o sucesso do negócio é o seu ganho financeiro.

Do mesmo modo, é preciso delimitar bem as tarefas de cada um, quais serão as responsabilidades, para evitar o “deixa que eu faço”, ou seja, um acha que o outro vai fazer algo e no fim, ninguém faz.

3. Sócio tem capacidades complementares

Se possível, tenha um sócio mais experiente. Uma pessoa que já viveu sucessos e fracassos no mundo dos negócios pode ajudá-lo a lidar com os desafios do dia a dia.

Em alguns casos, situações que causam pânico em empreendedores iniciantes são contornadas com facilidade pelos mais vividos.

Nesse sentido, se a pessoa não quer aprender algo de gestão e outros pontos da operação, pode ter como sócio alguém que saiba lidar com essas questões.

Assim, abrir uma franquia com sócio experiente, que tenha características complementares à sua pode ser uma boa forma para iniciar esta jornada.

Novamente, é preciso cuidado para alinhar junto a este sócio as ideias e expectativas em relação ao negócio.

Cada parte deve estar bem ciente do que precisa fazer, qual parte do negócio lhe cabe primordialmente, para evitar conflitos de gerência.

Dessa forma, deve-se acordar bem a parceria entre os sócios, tanto em relação ao trabalho quanto em relação aos recebimentos.

Enfim, estas três situações das quais falamos podem fazer com que o empreendedor busque um sócio para lhe auxiliar neste projeto. Porém, é preciso cautela e bastante diálogo entre as partes para evitar problemas futuros.

Como abrir uma franquia com um sócio?

O passo a passo para abrir uma franquia é praticamente o mesmo com sócio ou sozinho. Assim, são diversos pontos que precisam ser analisados neste processo.

Primeiramente, o empreendedor deve avaliar o seu próprio perfil e entender em que tipo de negócio ele melhor se encaixa. Dessa forma, deve buscar franquias que atuem em segmentos que goste e tenha afinidade.

Imagem de duas mulheres recebendo uma outra em uma sala de reuniões. Imagem ilustrativa texto abrir uma franquia com sócio.
Uma sociedade facilita a implantação da franquia.

Nesse sentido, caso tenha um sócio que irá trabalhar diretamente com a franquia, ele também deve se adaptar ao negócio. Ainda, é preciso que ele tenha interesse e goste do trabalho.

Além disso, um ponto importante antes de abrir uma franquia com sócio ou sem, é o mercado no qual vai investir. Avaliar aqueles setores que estão em expansão ou que são mais sólidos, com menos oscilações ao longo do tempo mesmo com crises.

O empreendedor e seu sócio, caso tenha um, precisam analisar as diversas franquias presentes no segmento com o qual se identificaram.

Sendo assim, é importante estudar a Circular de Oferta de Franquia (COF) das marcas, entender os detalhes do negócio e os suportes oferecidos pelas franqueadoras.

Sendo assim,após analisarem as opções, o empreendedor e seu sócio estão prontos para escolher a franquia com a qual irão trabalhar.

Em seguida, o empreendedor deve buscar conhecer a reputação da franqueadora. Seja sua atuação no mercado junto aos consumidores, como também as relações com os outros franqueados.

Para isso, o empreendedor e seu sócio devem conversar com os franqueados da marca para conhecer mais detalhadamente sobre o dia a dia do negócio.

Para você que busca abrir uma franquia com sócio ou sem, veja algumas franquias baratas no link abaixo.

Se optar por uma marca, entre em contato com a franqueadora. Porém, se ainda tem dúvida, conte com uma consultoria gratuita com especialistas que vão lhe ajudar nesta escolha. Acesse: henriquemol.com.br.

Advertisement
Advertisement