E-commerce: como funciona? Descubra se vale a pena abrir o seu

Por
em
Imagem de um carrinho de compras e de uma pessoa usando um telefone. Imagem ilustrativa texto e-commerce.
Advertisement

O e-commerce é um segmento do mercado que tem atraído muitos empreendedores que buscam modelos de negócios enxutos.

Nesse sentido, o empreendedor pode começar um negócio do zero ou optar por um modelo de franquia, do qual falaremos mais abaixo.

Contudo, você sabe como funciona o e-commerce e como ganhar dinheiro com isso? Então, acompanhe este conteúdo, pois trazemos algumas respostas para você.

O que é e-commerce? Como funciona?

O e-commerce é um modelo de comércio que utiliza a internet como meio de propagação e finalização da compra.

Esta nomenclatura também pode ser substituída por comércio eletrônico, loja virtual ou loja on-line. É a forma de vender pela internet os mais variados produtos ou serviços.

Sendo assim, o cliente acessa a plataforma de vendas da marca por um dispositivo eletrônico, seja um computador, um tablet, celular, entre outros.

As transações comerciais na forma eletrônica surgiram nos Estados Unidos, na década de 1970, enquanto no Brasil podemos dizer que começou no final dos anos 1990.

O e-commerce funciona basicamente como uma prateleira virtual, em que o cliente vai escolhendo os produtos e serviços que deseja.

Depois de selecionar o que irá adquirir, a compra é efetuada por diferentes meios de pagamento, como cartão de crédito, débito, boleto, entre outros.

Contudo, existem questões técnicas que também são necessárias para um e-commerce, como um site adequado que possa oferecer a estrutura para o negócio. Por exemplo, um serviço de hospedagem para o site e uma plataforma.

Por fim, o produto ou serviço é entregue na casa do cliente ou, em alguns casos, ele pode buscar o produto na loja física da marca.

Existem modelos de negócio simples de vendas pelo e-commerce para o empreendedor que deseja atuar neste marcado. Além de ser um segmento de grande faturamento, como mostraremos a seguir.

Vemos uma pessoa segurando um cartão de crédito perto de um computador (imagem ilustrativa). Texto: e-commerce.
Este modo de consumir já faz parte do dia a dia das pessoas.

Números das vendas on-line no Brasil e no mundo

A pandemia do novo coronavírus impactou toda a Economia do mundo, e um dos setores que mais se aproveitou do momento foi o e-commerce.

Por conta da proibição de abertura do comércio e as restrições de circulação impostas para frear a pandemia, negócios do mundo todo tiveram que de adaptar.

Ou seja, empresas que antes não trabalhavam com vendas on-line passaram a atuar neste setor. Do mesmo modo, quem já fazia esta venda, teve que incrementar sua estrutura.

Para se ter uma ideia, o setor de e-commerce no Brasil teve grande aumento no faturamento.

De acordo com índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) em parceria com o Neotrust – Movimento Compre & Confie, o ano de 2020 teve um aumento de 73,88% nas vendas pela internet.

Por exemplo, no início da pandemia, o número de transações efetuadas cresceu 65,7%, indo de R$ 63,4 bilhões para R$ 105,6 bilhões só nos seis primeiros meses de 2020.

Do mesmo modo, pesquisa realizada pelo Movimento Compre&Confie, em parceria com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) traz outro dado interessante.

Desde o início da pandemia, mais de 135 mil lojas aderiram às vendas pelo comércio eletrônico para continuar vendendo e se mantendo no mercado. Antes, a média era de 10 mil empresas por mês.

Isso pode significar mudanças profundas no comércio. Nesse sentido, segundo especialistas, os consumidores devem manter o habito de comprar pela internet mesmo com o fim da pandemia.

Além disso, empresas que restringem suas operações ao ambiente físico podem ter problemas com o crescimento das vendas on-line.

Assim, os empreendedores devem estar atentos a este movimento para não ficar de fora deste ambiente virtual de comércio.

Vemos algumas notas de dinheiro ao lado de um computador (imagem ilustrativa). Texto: e-commerce.
O mercado de vendas on-line movimenta grande faturamento.

Qual a estrutura de um e-commerce?

Começar um e-commerce é uma tarefa complexa. Por isso, o empreendedor deve ter bastante cuidado e se cercar de muitas informações.

Pois muitas vezes, quando o empreendedor quer criar uma loja virtual, ele possui apenas o conhecimento deste setor como usuário.

Contudo, existe uma estrutura complexa por trás de um site de vendas on-line, como mostraremos agora para você.

Um site de e-commerce exige uma plataforma de vendas, com um site que deve ser operável e didático.

Do mesmo modo, sua gestão é bem diferente do que uma loja comum, pois o cliente não está próximo do produto, por exemplo.

Assim, o site deve ser informativo, até porque a falta de informação pode causar problemas do ponto do vista do direito do consumidor.

Os produtos deve ser detalhados, seja em fotos ou em descrições. Para isso, o empreendedor deve ter uma acervo bom de imagens e um site que comporte essa quantidade de informações.

Ademais, o e-commerce lida com informações financeiras dos clientes, como endereço, número do cartão de crédito, dados pessoais. Logo, é preciso investir em segurança para evitar vazamento de informação.

Além disso, o site deve ter uma capacidade de processamento de dados para realizar as vendas de forma automatizada. Em suma, esta estrutura de tecnologia da informação é essencial para uma loja virtual.

Alguns outros pontos fazem parte do dia a dia do e-commerce, como uma estrutura de logística e de marketing. A marca deve trabalhar bem com suas rede sociais e outras formas de divulgação no ambiente da internet.

Sobre logística, esse é um fator que deve ser bem-estruturado pelo empreendedor. Alguns modelos de negócio exigem que o empreendedor tenha um estoque em sua casa.

Por outro lado, existem marcas que centralizam a entrega, facilitando a vida do empreendedor.

Vantagens de abrir uma loja virtual

Vemos a tela de um computador com o desenho de um carrinho de compras (imagem ilustrativa).
As lojas virtuais são um mercado amplo para os empreendedores.

Mostramos que o e-commerce teve grande aumento no Brasil por causa dos impactos da pandemia. Contudo, não são apenas estes números que demonstram as vantagens deste modelo de negócio.

Vender produtos pela internet tem se tornado algo corriqueiro, com grandes marcas investindo neste setor. Podemos citar, por exemplo, as empresas Magazine Luiza e o Mercado Livre, que atuam fortemente no e-commerce.

Do mesmo modo, o empreendedor pode se aproveitar desta possibilidade que a internet possibilita.

Esse é um modelo de negócio enxuto, com baixo custo operacional. Ou seja, o empreendedor evita ter que pagar aluguel de um ponto comercial e consegue lidar com a demanda com menos funcionários.

Isso faz com que ele possa ter clientes do Brasil inteiro, e até de outros países. Tudo isso oferecendo conforto ao consumidor, que recebe o que comprou em casa, e para ele empreendedor, que também trabalha de casa.

Esta facilidade para o consumidor final é algo que tem atraído cada vez mais pessoas. Outra vantagem de abrir um e-commerce é a possibilidade de oferecer uma grande quantidade de produtos.

Vendendo com estoque sob demanda, em parceria com seus fornecedores, muitas vezes o empreendedor do e-commerce consegue tirar grande vantagem do número de produtos oferecidos.

Além disso, o comércio eletrônico permite ao empreendedor entender bem os hábitos de consumo de seus clientes e público-alvo.

Existem diversas ferramentas para estudar o comportamento das pessoas na internet e assim descobrir o que mais agrada.

Do mesmo modo, a internet é um ambiente quase infinito e, com isso, o empreendedor pode chegar a todos os cantos e a quase todos os consumidores.

De acordo com pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, são 234 milhões de celulares inteligentes (smartphones) no Brasil. Ou seja, mais de um por habitante!

O que vender em um e-commerce?

Vemos um teclado de computador com uma tecla azul com escritos Add to cart (imagem ilustrativa).
O modelo de vendas on-line permite trabalhar com uma variedade de produtos.

Para quem deseja abrir uma loja virtual, o mercado é amplo, com muitos nichos para o empreendedor atuar.

Contudo, ter muitas opções exige que o empreendedor pesquise bem o mercado que melhor combina com o seu perfil e ao momento da Economia.

Pois com a pandemia, alguns setores tiveram destaque maior, como mostraremos para você. Por exemplo, o segmento de Alimentação é um destes que se destacaram.

Com as pessoas mais em casa, muitas precisaram pedir comida por delivery, pois não gostam ou não possuem tempo para cozinhar. E dentro deste nicho, o setor de comida saudável chama a atenção.

Do mesmo modo, uma boa opção para e-commerce é uma loja virtual no mercado da moda, com a venda de roupas, calçados e acessórios.

Com isso, dento desse mercado, o empreendedor pode optar por roupas masculinas, femininas ou acessórios específicos como bolsas, etc.

Outro setor com muitas opções para investir no e-commerce e que tem atraído a atenção de empreendedores é o mercado de beleza.

São lojas virtuais de cosméticos, acessórios, produtos para tratamentos específicos, entre outros. Dentro deste nicho você ainda encontra linhas ainda mais específicas que fazem sucesso, como os produtos naturais.

Um setor que não pode ser deixado de lado é o de venda de celulares e alguns outros eletroeletrônicos. Este um segmento com bastante apelo e que conta com grande mercado consumidor.

Durante a pandemia, outro setor que teve destaque foi o de venda de bebidas. Por exemplo, cervejas artesanais, que tiveram que entrar ou fortalecer o seu e-commerce por conta do fechamento de bares e restaurantes.

Por fim, podemos destacar também o comércio de brindes em geral, que são aquelas lembranças para festas ou outras comemorações.

Abrir um negócio do zero ou abrir franquia?

Vemos uma mulher sorrindo enquanto fala ao telefone em frente ao seu computador (imagem ilustrativa). Texto: e-commerce.
É possível trabalhar com vendas on-line com franquias ou começar um negócio do zero.

Mostramos que são muitos os nichos de destaque no mercado de e-commerce e você ainda ficou sabendo um pouco sobre a estrutura necessária para este empreendimento.

Contudo, note que esta empreitada é tanto quando complexa para a montagem do site, escolha dos produtos a serem comercializados, fornecedores, etc.

Do mesmo modo, pode levar um tempo até o seu empreendimento conseguir ter reconhecimento no mercado e captar clientes.

Por outro lado, você pode optar por, ao invés de começar um negócio do zero, abrir uma franquia de e-commerce.

No mercado de franchising são inúmeras redes de franquias que trabalham com este formato de negócio, com a grande maioria em home office, o que torna o empreendimento mais barato.

Além disso, o modelo de franquia já vem estruturado, com produtos ou serviços já testados e aprovados pelos consumidores.

Da mesma forma, a franquia conta com uma logística organizada, bem como um site para as vendas pronto para usar.

Essas são algumas vantagens, se comparado com começar uma empresa de venda on-line do zero, ou seja, toda esta estruturação que já vem pronta com a franquia.

Ademais, ao se tornar um franqueado, o empreendedor recebe uma série de suportes da franqueadora. Por exemplo, treinamentos para conhecer a operação e o mercado no qual irá atuar.

A franqueadora ainda conta com um setor para o trabalho de marketing já bem direcionado para o público-alvo da marca. E isso sai mais barato para o empreendedor, pois todos os franqueados pagam pelo serviço com o fundo de propaganda.

Na Circular de Oferta de Franquia (COF), o empresário já fica sabendo todos os custos que terá para o desenvolvimento do negócio. Com isso, ele consegue se programar melhor para fazer os investimentos certos.

3 opções de franquia de e-commerce para abrir

No tópico anterior você viu um pouco sobre as vantagens do modelo de franquia para quem deseja empreender no mercado do e-commerce.

Agora, cabe a você pesquisas bem as franquias que possuem este modelo de negócio, a reputação da marca, os suportes oferecidos, entre outros cuidados.

Da mesma forma, saber qual franquia melhor se encaixa ao seu perfil, bem como o mercado que mais lhe atrai.

Sendo assim, separamos algumas franquias para você conhecer. Mas antes, baixe o nosso ebook com dicas para escolher a franquia na qual investir!

E-book "Em qual franquia investir?"

1. Brasil Nutri Shop

A franquia Brasil Nutri Shop trabalha com o e-commerce de suplementos alimentares e produtos fitness.

Assim, no modelo da franquia, o franqueado realiza a venda por meio do site da marca. No entanto, toda a logística de entrega é feita pela franqueadora.

Com isso, o trabalho do franqueado é em home office, realizando a divulgação da marca e fazendo captação de clientes.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 10.900,00
  • Faturamento médio mensal: R$ 5 mil
  • Prazo de retorno: de 12 a 24 meses

2. Bellaza

Advertisement

No segmento de beleza, um dos grandes destaques do e-commerce é a Bellaza.

A franquia trabalha com a venda de cosméticos e maquiagem no ambiente on-line. Do mesmo modo, é a franqueadora que realiza a entrega dos produtos, poupando o franqueado de manter um estoque em casa.

  • Investimento inicial: de R$ 9 mil a R$ 15 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 10 mil
  • Prazo de retorno: entre 1 e 12 meses

3. Mr. Fit

Falamos anteriormente um pouco do e-commerce de comida saudável. E é neste nicho que a franquia Mr. Fit trabalha.

A rede possui diversos modelos de negócios, e um deles é a venda exclusiva de marmitas congeladas por meio de seu site ou aplicativo.

Assim, no modelo mais simples, o franqueado recebe os produtos prontos para realizar a venda em sua região de atuação.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 6 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 2 mil a R$ 250 mil
  • Prazo de retorno: entre 4 e 36 meses

Outras opções de franquias virtuais

Além das franquias de e-commerce, existem opções de franquias on-line que não são lojas virtuais, mas que podem ser boas opções para diversos tipos de empreendedores.

Por exemplo, empreendedores com menos capital para investir, que buscam ser donos do próprio negócio, além de flexibilidade de horário de trabalho.

Dessa forma, separamos três franquias de segmentos variados para que você as conheça um pouco mais.

Vemos um empreendedor trabalhando em casa (imagem ilustrativa).
O mercado conta com muitas opções de negócios em home office para vendas.

Encontre Sua Viagem

Uma das franquias virtuais é a Encontre Sua Viagem, uma rede de agências de turismo que atua em todo o Brasil e fora dele. A rede oferece diversos produtos, como passagens aéreas, pacotes de viagens, hospedagens, entre outros.

A Encontre Sua Viagem possui parceria com os maiores grupos de turismo do mundo, como companhias aéreas, grupos hoteleiros, locadoras de carros, etc.

Ela é parceira de empresas como Latam, Gol, Azul, Copa Airlines, Turkish, AirFrance, TAP, Booking, CVC, Trend Operadora, Europlus, entre outras.

Para os empreendedores que querem atuar no e-commerce, mas sem a venda de produtos físicos ou preocupação com logística, a marca é uma boa opção.

Além disso, a franquia oferece dois modelos de negócios para os empreendedores: o home office e o de loja.

Dessa forma, de acordo com o perfil do empreendedor e de sua capacidade financeira, ele pode optar por um destes dois modelos.

Por fim, para o desenvolvimento do trabalho, o franqueado recebe diversos suportes, como treinamentos, auxílio para a gestão da unidade, bem como para o marketing e divulgação.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 12 mil
  • Faturamento mensal médio: R$ 50 mil
  • Prazo de retorno: entre 3 e 24 meses

Quisto

A franquia Quisto é uma corretora de seguros que trabalha com diversos tipos de contratos para os clientes. São mais de 90 tipos de contratos em seu portfólio.

Por exemplo, a franquia oferece empréstimo consignado, financiamento de automóveis e de imóveis, rastreamento veicular, entre outros serviços.

Para tanto, a franquia possui como parceiras as maiores seguradoras do mundo para, assim, entregar aos franqueados mais possibilidades de negócios.

Além disso, para o franqueado, a empresa conta com diversos suportes que começam com treinamento para o empreendedor conhecer mais sobre o mercado de seguros.

Vemos miniaturas de casas em cima de uma mesa de escritório (imagem ilustrativa). Texto: e-commerce.
O setor de seguros é amplo para empreendedores de franquias on-line.

Da mesma forma, a Quisto conta com um software próprio que oferece mais de 20 cotações para um mesmo produto.

Por fim, o franqueado também recebe apoio para a gestão da unidade, questões burocráticas e também para as ações de marketing. São duas opções de modelo de negócio: home office e loja.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 21 mil
  • Faturamento mensal médio: R$ 50 mil
  • Prazo de retorno: entre 6 e 18 meses

Dr. Fiscal

Para jovens empreendedores que gostam de trabalhar com contabilidade, a Dr. Fiscal é uma franquia que pode ser uma boa opção.

A empresa trabalha com soluções para seus clientes na questão tributária, organizando e tornando mais eficiente o recolhimento de impostos.

O franqueado atua captando clientes e dando os suportes necessários ao longo do tempo.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 25 mil
  • Faturamento médio mensal: não informado
  • Prazo de retorno: de 1 e 12 meses

Seja uma franquia de e-commerce ou para a venda de serviços, o mercado de lojas virtuais é amplo para os empreendedores investirem.

Por último, separamos um conteúdo com mais opções de franquias para investir sem sair de casa. Basta clicar no link.

Advertisement
Advertisement